26/03/2015

Anda comigo ver os aviões

Quanto é que vale uma aposta em como, lá, como cá, a culpa pela queda de mais um avião vai morrer solteira? Refiro-me ao Airbus A320, alemão, que caiu nos Alpes, na terça-feira, com 150 pessoas a bordo. 
Os mortos não se podem defender, as caixas negras vão denunciar aquele nada do costume, o piloto adormeceu, o copiloto tinha ido fazer chichi - ou então, cocó, também serve -, um dos dois era inexperiente, o outro era cardíaco e foi acometido de doença súbita, um quis-se matar e não arranjou melhor oportunidade para o fazer, vai na volta e, com jeitinho, os passageiros também tiveram algum grau, ou grão, de culpa na queda do avião (conforme se sabe, os passageiros são uns insubordinados, designadamente quando se apercebem que a porra do avião onde estão metidos vai cair), os mortos não se podem defender, não sei se já disse, a culpa vai morrer solteira - isto, acho que já disse -, mesmo que os pilotos não fossem solteiros, nem nenhum dos passageiros fosse solteiro, a culpa, essa, morreu. Virgem e tudo.

12 comentários:

  1. Parece que o Piloto de barricou no cockpit antes de se despenhar.
    Suicídio?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já é o segundo, no espaço de meses, cujo relatório aponta nesse sentido.
      A próxima vez que andar de avião, meto-me no cockpit a fazer psicanálise aos maganos.

      Eliminar
    2. Que medo. E eu com viagem marcada na Germanwings...

      Eliminar
    3. Ali, ou noutra qualquer, parece que tudo não passa de uma questão de oportunidade...

      Eliminar
  2. Será de crer que o homem expôs assim mais de uma centena de pessoas? Não fico totalmente convencida!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Disso, já não duvido tanto. Quem está decidido, e já leva aquela intenção, não estará grandemente preocupado com a vida dos outros.
      Mas estas notícias parecem desencadear uma psicose suicidária. Este, a ser, já é o segundo, no espaço de poucos meses.

      Eliminar
  3. Falta saber o que terá levado o co-piloto a tomar essa atitude. Mas não só. O que terá levado o comandante (1º piloto) a ausentar-se do cockpit com tão pouco tempo de voo?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se foi suicídio, as razões para ele não interessam nada, em termos de acidentes na aviação civil. Não havendo uma falha mecânica, nem humana (em termos técnicos), não há nada para investigar. Já a ausência do piloto, poderá ter algum interesse para a investigação, quanto mais não seja para que sejam revistas as normas de segurança na pilotagem, e as condutas proibidas, para que não se repita uma coisa destas.

      Eliminar
    2. O piloto o quê? Porquê? Já não se pode urinar - evito o termo mijar, muito abaixo da minha classe - num avião?
      O cú-piloto (é assim que se escreve?) teve uma travadinha e pifou os neurónios todos. Parece que andava mal de amores com a namorada e estaria a ser sujeito a um tratamento psiquiátrico.
      Eh pá, se quiseres saber mais e melhor, visita o palácio cá do rapaz. Tudo eu tudo eu.

      Eliminar
    3. http://31.media.tumblr.com/726911817d6627cd38be0744c9871f7f/tumblr_mp99sijzUj1r51r3ro1_500.gif

      Eliminar
  4. O co-piloto estava farto da vida e não tinha, naquela altura, acesso ao blog da linda porca, pelo que decidiu-se pela ação mais nobre e cometeu suicídio :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sinto uma lisonja no facto de alguém pôr a possibilidade de meu buraco poder evitar o suicídio em si :P
      Eu bem digo que as minhas próximas viagens de avião terão lugar no cockpit, a psicoterapiar o povo de lá, "Vá, desabafa", "Vamos cantar as pombinhas da Cat'rina", "Agora bate palmas, bate palminhas", e "Subordinemo-nos ao tema: Foste ou não foste vítima de bulying quando eras borbulhento?".

      Eliminar