22/12/2014

A mim falam-me de Joe Cocker e eu

vou parar a "Nove semanas e meia", para aí a maior seca sexual que vi na vida, sem argumento (um casal que não se conhece e se come desalmadamente durante - não fica claro - nove semanas e meia?), com um Mickey Rourke e uma Kim Basinger na era pré-queda no balde de ácido sulfúrico, mas com uma excelente fotografia e, é claro, Joe Cocker.




Pronto, voz de lobo. Para ti não acabou a festa, mas, para nós, sem ti, sim. Nem posso prometer-te uma última dança sem tirar o chapéu, porque tu vais certamente para um lugar mais confortável e menos quente do que eu.

8 comentários:

  1. Eram outros tempos.
    Da última vez que critiquei esse filme levei nas orelhas... vou respeitar.
    E "aquilo" em que o Mickey Rourke se tornou, é assustador: http://i.dailymail.co.uk/i/pix/2012/07/20/article-2176726-142385A0000005DC-805_634x880.jpg

    ResponderEliminar
  2. Dêem-me nas orelhas, a ver onde é que levam a seguir.

    Não se enfiou num balde de ácido? Ah, julguei...

    ResponderEliminar
  3. Respostas
    1. O próprio JC foi de outra era...

      Eliminar
  4. Tomara a ti ser como a Kim.
    Ou herself, no movie.

    Respeito!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desconheces os meus poderes.
      Nem nunca me viste dançar.
      Só não sou loira, isso passo nas calmas.

      Eliminar
    2. Até sopras, vês?

      Eliminar