07/08/2015

Diário de fora de bordo # 2

Sttau Monteiro não inventou nada.
Jorge Amado talvez. Não vi lá capitães.



Céu encoberto todo o dia, só faltava mesmo chover, apesar da canícula. E choveu mesmo. Sempre refrescou, embora também tenha feito debandar metade da passarada.

Já não é a primeira vez que estou na praia no momento em que começa a chover. Também já assisti a uma trovoada mesmo em cima do mar. E a uma praga de mosquitos. E a mini-tornados. Mas o fenómeno mais bonito e que gerou a reacção mais curiosa, assisti há uns três ou quatro anos, em São João da Caparica, à passagem de três golfinhos, num dia de praia cheia, em que a multidão se levantou da areia em peso, apontou na mesma direcção, e, em coro, fez um longo Oooooooooh. 



6 comentários:

  1. Os Capitães da Areia?
    Não sabia que frequentavas 'as minhas bandas'.
    Já agora, um pouco de serviço público: não se escreve S. João DA Caparica mas sim S. João DE Caparica.
    Tudo eu tudo eu :)))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Os capitães da areia" é só dos meus livros do coração. E o filme, da neta, idem. :)

      Eliminar
  2. Há pessoas que atraem acontecimentos tumultuosos!!! :P

    (também amo o livro, diabos) :)

    Beijocas. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei se as coisas andam atrás de mim, ou se sou eu que as procuro. :)

      (tão bem escrito, tão terno!) :)

      Beijocas, Maria :)

      Eliminar
  3. Eu aguento com tudo na praia. Sejam anemonas, cocos, golfimhos, algas... Tudo menos trovoada, se aparece trovoada eu desapareco lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No dia em que vi a trovoada, estava mesmo a chegar à praia. Já nem abanquei os tarecos. Fiquei no bar, a assistir aos raios no mar. E nenhum me partiu a mim :D

      Eliminar