26/11/2014

Sabem o que vos digo?

Eu hoje não me apetece escrever. Já fiz rascunhos de posts, já escrevi uns e apaguei-os, outros amandei-os para o rascunho, só ainda não ferrei um granda coice no computa porque sou uma Porca e não uma mula. E burra, enfim, há dias. E hoje não é um.

Já escrevi sobre a senhora que conheci hoje, deitada numa cama de hospital, aos gritos com as enfermeiras, a bater em tudo o que apanhava - eu um dia, não quero, mas vou ser assim, ainda mais velha, e bato em quem me apetecer só com a desculpa de ser velha e estar meio avariada da marmita - a arrancar os tubinhos do nariz e, mal elas viraram costas, lançou mãos aos tubos da algália e gritou: "Socorro! Ó da guarda! Acudam-me!". Então eu agarrei-lhe a mão dos tubos da algália e pus-me a conversar com ela. Ao cabo de alguns minutos, pareceu-me ter acalmado. No entanto, ainda bateu na auxiliar que lhe foi dar almoço e lançou uma perna fora da cama para dar um pontapé na outra gaja que estava no quarto, de visita à mãe dela e que tem cara de má. A mim deu-me a mão. Depois passou o resto do tempo que lá estive a chamar por mim. E eu redigi mentalmente uma declaração, dirigida ao mundo, a implorar que não me deixem chegar àquele ponto. A sério. Abatam-me a tiros, mesmo que eu esteja de costas. E de rabo para o ar. A apanhar florzinhas. A fazer o bem. Zagalote.

Puxa, não posso pôr um pé na rua, que tenho logo que adoptar tudo o que é desgraça. Pareço a Nossa Senhora do Amparo, mas em gira. E boa-zinha.


Estão a ver? Isto, mas com um corpão e um manto mais féch. E uma expressão facial de santa, nada deste semblante hipnotizado.

Por falar nisso, também seleccionei uma data de fotografias, a ver se mudava a minha imagem de perfil. Ando farta daquela cigana a transpirar sensualidade. Um cheirete. Mas fico muito indecisa. A Venus do Botticelli não podia ser morena? Essa dava, não sei que raio tinha o senhor na cabeça para lhe ter pintado o cabelo daquela cor. Falta de tinta castanho avelã. Ou castanho cocó, também tinha servido.

Também podia vir aqui espetar com uma música e que se lixe a cena do post diário. Mas nem isso posso fazer. O que me anda agora na cabeça são só poias, tipo "Única mulher" do Anselmo Ralph, por isso nem me esforço a ir ao youtube copiar o link. Eu tenho uma imagem a defender.

Ou vir aqui pôr um mantra que inventei hoje, mas nem para esse tenho gás. É péssimo.

Estou farta de chuva.


4 comentários:

  1. Para quem não lhe apetecia escrever... disfarças bem!
    Já escolheste o avatar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só palha.
      E tu, sacaste o teu aonde?

      Eliminar
    2. Aos restos do verão.

      Eliminar
    3. Qual Verão?
      Isso existiu?

      Eliminar