24/04/2015

Eu tenho problemas com médicos # 15

Farta de entupimentos nos meus canais, farta de palpites ao lado, farta de encharcar-me com antibiótico e anti-histamínico - que me põe com uma cadela mesmo digna do cão -, em suma, farta desta fartazana, fui a um especialista das fossas, otorrinolaringologista, pese embora estivesse consciente de precisar apenas do oto.
Andei por estes dias a sujeitar-me às maiores violências e às práticas mais absurdas com vista à salvação do meu corpo, já que a alma se encontra perdida, por mais antagónica que esta expressão seja. Desde espichar água do mar fossas acima, engasgando-me de seguida, fazendo saltar lágrimas de Portugal dos meus encantadores, pestanudos e negros... onde é que eu ia?, ah, olhos, até - imagine-se - besuntar os pés, à noite, com uma berdroega a cheirar a eucalipto - segundo o que me dizem, já que eu continuo com o olfacto perdido, juntamente com a alma -, e, de meias calçadas, dormir assim, para evitar tossir, acordando de manhã com os pezinhos-em-nhanha, qual coentrada, tudo tenho feito para acabar com a raça desta praga, à excepção de mandingas, simpatias e bruxedos.

Estou nas lonas. Fui ao tapete. KO. No fundo. E, no fundo, isso explica que tenha ido ao médico.

O homem era gigante e viu-me os seios e as trompas - nasais e de Eustáquio, respectivamente.
Modéstia à parte, o meu nariz é despropositadamente maravilhoso.
Estou habituada a isto, porque o ofta também fica doido com os meus olhos. Cada especialidade, seu bocado - pecado - meu. 
Contei-lhe a história da minha vida de há oito dias para cá, na voz mais penitente e desgraçada que consegui. Não ia ali pagar para ouvir mais um a falar-me de adultério. Ando cansada de fazer psicanálise aos meus médicos. Uma vez, até um padre me saiu na rifa. Estava internada num hospital religioso, o padre foi conversar comigo no dia da alta - para me confessar, ou para me converter -, e acabou a desabafar comigo, lá coisas da vida dele. 
O otomédico mandou-me sentar numa cadeirinha daquelas que parecem dos barbeiros e, nessa altura, espreitou-me e espetou-me os buracos todos - os da cabeça, um por um.
Ah, não, os olhos não espreitou, nem espetou com nada.
Foi também neste momento que ele bloqueou de amor pelas minhas orelhas. Modéstia à parte, as minhas orelhas são despropositadamente maravilhosas.
Meteu-me não sei quantos zingarelhos em toda a parte otorrinalaringa, e esteve a segundos de confessar que nunca vira uma garganta tão perfeita quanto a minha. Disse que via pontinhos brancos. Pudera. Até um céu estrelado ele cá viu. Modéstia à parte, a minha garganta é despropositadamente maravilhosa. 
Espátula de metal até à náusea, tubo fininho nariz adentro até à garganta, vários coisos pelas orelhas, para ver melhor. E um martelinho na testa, De onde é que vem o som?, Da direita - outra martelada - De onde é que vem o som?, Da direita - mais outra - De onde é que vem o som? [porra, vou-lhe dizer da esquerda, queres ver que o gajo está feito com a PIDE, já começou as comemorações e não se cansa deste arraial?], Da direita [que eu tenho tomates]. 
O som vem da direita porque é o ouvido direito que está mais cheio de líquido. Deve ser aquela cena de a água ser boa condutora do som (uma chatice, nas piscinas, não se pode dar um arrotinho, a pessoa parece o Monstro de Loch Ness).
Deu-me um copo com água, mandou-me meter um gole na boca, chegou-me uma bomba (parecia mesmo uma granada) ao nariz, e mandou-me engolir (a água, não a granada). Nesse momento, deu-me uma bombada buraco acima, com uma força tal, que me pôs a exclamar: Socorro, que me afogo! Por momentos, sonhei que ele me atirava uma bóia vermelha à cabeça. Os meus ouvidos deram um estalo, o que me fez acordar do sonho.

Haha - tenho as ites todas que se podem ter na cabeça: rinite, sinusite, amigdalite e otite. 
Isto sim, é que é ter um pacote em grande e em bom.

Origem da gosmeira?
O que é que eu disse, no princípio desta saga?
Plátanos. E essas merdinhas que andam no ar, armadas em florzinhas românticas.
Fosse isto nos Estados Unidos e eu ficava rica, só com a indemnização que exigia à Câmara de Lisboa. Este mês já não como: deixei-o todo na farmácia. 
Vou ficar despropositadamente maravilhosa de tão magra.

14 comentários:

  1. Oh mulher, tu não fazes a coisa por menos! Vá lá que ainda deixaste a faringite e a laringite para outros se entreterem...
    Pela tua última frase parece-me que vais ficar boa e fina rapidamente ;) Eu cá, desejo-te as melhoras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A faringe ainda é na cabeça, vá que me safei. Também me safei da adenoidite porque já não os tenho, senão era bem capaz de também levar com essa.
      A laringe, como já é cá mais abaixo, escapou-me.
      Agora tenho que melhorar (não sei quando, mas sei que tenho).
      Obrigada :)

      Eliminar
  2. Pelo menos o Otomédico (o que me ri...) dá ares de competente...

    As melhoras é uma bejufa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este era bom. Não veio cá com o truque do adultério, pelo menos.
      Farta de golpes baixos, sabes? :P

      Brigadas e outra pra cê.

      Eliminar
  3. Cara Linda,
    (D)Escreve de forma propositadamente maravilhosa.
    As suas melhoras,
    Outro Ente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Outro Ente,
      Isto é tudo tão trágico, que se tornou definitivamente cómico. De resto, como quase tudo na minha vida.
      Obrigada.
      Beijo,
      Linda Porca.

      Eliminar
  4. LP,

    Ehehehhhhh !

    Prometido e cumprido !

    Muito boa descrição dessa consulta com o otomédico.

    ..." dos meus encantadores, pestanudos e negros... onde é que eu ia?, ah, olhos "...

    ..." que ele bloqueou de amor pelas minhas orelhas. Modéstia à parte, as minhas orelhas são despropositadamente maravilhosas. "...

    ..." confessar que nunca vira uma garganta tão perfeita quanto a minha "...

    Não tens culpa de ser tão,tão gira ! Ninguém tem !

    LP agora acredito ! Vais ficar curada !

    Nota:
    Adoro a tua autoestima ! É assim mesmo !!!
    Autoestima ?
    Não me digas, que "andas "sempre com 1 paninho de pó a limpar...limpar a tua auto/viatura .

    :) Sinceros desejos de otomelhoras !

    Beijo,
    José

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tenho culpa nenhuma.
      Na verdade, chega a ser uma tormenta!
      Eu também acredito na cura, será o milagre de Natal antecipado!
      Obrigada.
      Beijo.

      Nota: Nem pensar. O meu boi anda sempre que é um nojo. Vai na volta e também o tenho cheio de alergenos.

      Eliminar
  5. desejo sinceramente as mais rápidas melhoras. eu não me dou bem com médicos que terminam em "gistas" e teimam em começar por "oto"; têm demasiados aparelhos para colocar em demasiados sítios! Abaixo os plátanos e toda a natureza esvoaçante que nos abate as vias respiratórias! Bom fim de semana.
    Mia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lá está. Enquanto as outras especialidades nos poupam à sua curiosidade, essas que referes são demasiado intrusivas para o meu gosto. E dominadoras, também. Dizem que vêem coisas que eu sei lá se vêem mesmo, ou se faz parte do número de mágica.
      Abaixo os plátanos, esqueçam lá isso da pegada ecológica!
      Bom fim-de-semana, Mia.
      E obrigada :)

      Eliminar
  6. tive que vir aqui dizer que houve um problema lá (onde eu resido) com um comentário teu! peço desculpa pelo meio encontrado para informar sobre o acontecido. Quanto "aozovidos", já deixei melhoras há pouco! :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há do que pedires desculpa, ora essa. Eu ando a perder qualidades mentais, só pode. Então não podia não ter publicado o teu comentário e ia lá refazer o meu?
      Olha, esquece :)
      Desculpa eu.

      Eliminar
  7. Anónimo25/4/15

    Melhoras, põe-te fina e já que falas em ficar boa, boa mas boa... diz lá qual é o segredo para esse corpitcho maravilha?!

    ...e auto-estima...acho lindamente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito fácil: boa genética, exercício, alimentação. E não acreditar em milagres :P

      Auto-estima, é verdade - esse é o factor principal.

      Eliminar