01/07/2014

O melhor e mais barato desmaquilhante de olhos do mundo

Há muitos anos que me maquilho. Faço uma única pausa no Verão, durante cerca de três meses, em que só ponho creme hidratante na cara e pinto os olhos. Ou seja, há décadas que pinto os olhos, todos os dias, sem excepção, mesmo naqueles em que não saio de casa, ou tenho febre, ou estou internada (já aconteceu várias vezes nos últimos anos e nunca por motivos tristes, que eu não sou dessa laia). 

Com a quantidade de tinta que já espalhei nas pestanas, já não devia ter pêlo nas pálpebras, mas, pelo contrário, assistem-me várias e relativamente longas, e porquê, perguntam vocês e eu respondo assim: porque as trato bem. Isto da Natureza, cada vez mais me convenço que dá de um lado e tira do outro. Se é verdade que tenho um atraso no envelhecimento da vista - diagnóstico do ofta -, por outro tenho olhos sensíveis. São quase pretos, mas choram facilmente se não forem bem tratados. E não é de tristeza, já disse que não sou dessa laia?

Desde muito cedo, ainda era quase uma criança, que percebi que os rímeis do supermercado não podem chegar perto de meu frágil olho. Percebi também que a velha máxima de que não é só por ser caro que é bom, aos rímeis não se aplica. Os da perfumaria são três vezes mais caros, mas mil vezes melhores. Eu sou a prova viva, a cobaia, a vítima: ponho um rímel do supermercado e aguento umas horas sem me picar o olho, sem chorar, sem borrar a cara toda de negro, sem ficar com os olhos vermelhos. Ponho um da perfumaria e uso-o tranquilamente até me deitar. E posso dormir com ele, excepcionalíssimamente, que no dia seguinte não estou cega. 

Os bons rímeis estão, cada vez mais, a ser fabricados com substâncias à prova de água. É a única coisa que nos garante que pode entrar um cisco no nosso olho ou termos uma discussão com o namorado sem que fiquemos iguais a um Kiss.



Lá está. E, como toda a bela tem um senão, se o rímel for mesmo bom e não sair com lágrimas, também é mesmo mau de retirar. Durante anos a fio usei tónicos, desmaquilhantes específicos para olhos (os bifásicos, caríssimos, da perfumaria), e creme hidratante, este último já no tempo em que as vacas começaram a emagrecer. O tónico só tira metade do rímel e faz arder; o desmaquilhante bifásico só tira metade do rímel e deixa os olhos cheios de óleo; o creme hidratante retira o rímel todo e faz arder. Todos eles arrancam pestanas, o que, mesmo à média de duas por dia, resulta na linda quantidade de 60 por mês, ou 730 por ano. Não é imenso? Eu acho. 

Sinceramente, já nem sei como é que descobri esta grande facilidade. Sei que há muito que tirava a maquilhagem da cara com toalhetes de limpar o rabo dos bebés, antes de passar o hidratante. Até que um dia passei o toalhete nos olhos e oooooh, fez-se luz. O rímel ficou todo no toalhete e não me deixou os olhos a arder, nem me arrancou uma única pestana. Um só toalhete desmaquilha os dois olhos e ainda dá para o virar e desmaquilhar o resto da cara com ele! Faz tanto sentido que não sei como não cheguei mais cedo à conclusão de que o que é próprio para limpar rabinhos tão delicados só pode ser excelente para a pele da cara e para os olhos. E façam as contas a 2 embalagens de 72 toalhetes, a € 2,50, por quanto vos fica, diariamente, tirar a graxa. Até dá para investir o que poupam na qualidade da própria graxa!

Também podem e devem usar os toalhetes para se limparem em tendo terminado a defecação, mas sinto que isso já não é comigo.


2 comentários:

  1. ah!!! vou gastar menos dinheiro!! finalmente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu vivo para servir quem precisa da luz!

      Eliminar