13/02/2015

Velhas máximas sobre os homens que nunca ninguém me ouvirá dizer # 2

Um homem também chora

Não chora nada, chiu, caluda, não queremos berreiros, vão lá ser maricas para outro lado, preferencialmente nas nossas costas - porra, fazem coisas tão bem feitas nas nossas costas, façam só mais essa -, que ninguém atura uma Desdémona, uma Pierrette, mais um filho, ou um filho para quem os não tem, sempre pendurado do nosso ombro, magro e frágil, ou gordo e frágil, a enchê-lo de ranho e gemideiras. Deixem-se de merdas.

Uma vez tive que lidar com um chorão que só não era maior seca porque tinha a cara sempre molhada. Comovia-se. Por dá cá aquela palha, emocionava-se. Ou ficava triste. Ou frustrado. Ou chocado. Ou desiludido. Ou contente. E chorava sempre. Ou vinham-lhe as lágrimas aos olhos. Era impossível trabalhar com uma pessoa assim. A excitar-se perante novos desafios e a perturbar-se diante deles. A fazer check lists de merdas e a alterar-se todo com o que ainda estava por fazer. E a marejarem-se-lhe os olhos. Ou a caírem-lhe duas gotas, uma de cada olho. Parecia um devoto, sempre em transe. Ou um peregrino, saciado de cumprimento, quando lhe dava a carpideira plena.

Percebam isto, de uma vez por todas: as frágeis somos nós, as que tudo aguentam caladas e firmes, as que choram a rir e riem a chorar, as que ralham a dar beijos e batem com os pés no chão quando percebem que já não são meninas e o mundo não vai perdoar as nossas falhas, nem nós vamos aguentar as inevitabilidades do mundo, somos nós. Nós é que precisamos dos ombros todos que nos possam oferecer, dois por cada homem, porque temos o colo ocupado. E está muito ocupado, o nosso colo. Não se sentem nele. Leiam o rótulo: ocupado.

Tão estranhas as mulheres: ausentam-se permanecendo, regressam partindo (António Lobo Antunes, in Dulcinha).




11 comentários:

  1. Gostei tanto. Obrigada...é isso.

    jinhoooosss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)
      Precisamos é, vezes a mais, fazer-lhes o boneco.

      Eliminar
    2. E beijinhos, pois claro :)

      Eliminar
  2. Há pessoas que têm problemas nervosos e por isso emocionam-se frequentemente. Conheço um caso patológico assim cá na vizinhança. Esse teu colega podia padecer do mesmo...

    Eu emociono-me mais do que queria, mas luto com todas as minhas forças contra isso. O que pode ser "consequência" e "causa" em simultâneo :)

    Bom fim se semana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, era só caguinchas.
      E preguiçoso, também.

      Flor, tu andas a humanizar-te :)
      Cá xi à tia.

      Goza-o à bruta :*

      Eliminar
  3. Este texto era perfeito para uma pessoa que eu cá sei ... mas não lhe mostro. O desgraçado antes de chegar ao terceiro paragrafo, já me teria gasto a caixa de "clinexes". ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E agora cagaste-me a rir! :D
      Obrigada!

      Eliminar
    2. Tendo em conta o cabeçalho do blogue: linda porca ou cheiro de estrume? Cheira-me, que agora estás no modo "cheiro de estrume". (este é o primeiro/segundo comentário, que faço e já comecei a fazer M da grande! ... sorry) :P

      Eliminar
    3. Sente-te em casa, rapariga :D
      Aqui fala-se de cocó, amiúde.
      E fizeste-me rir, pelo que mi buraco es tu buraco :P

      Eliminar
  4. É importante perceber-se quando a comoção significa tristeza ou quando aponta para outra coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ali assim era só outra coisa.

      Eliminar