22/01/2015

Expliquem-me lá isto muito devagarinho, que me parou a boneca

Vamos partir do pressuposto - errado - que um blogue é um alter ego. Digo errado, porque pode não ser. A Porca e eu, pessoa não porcina, somos a mesma. Não tenham quaisquer dúvidas acerca disso. Posso não vos contar a minha vida privada ao pormenor sórdido, nem a íntima com mais detalhes, mas eu sou a Porca. Lamento.
Somos, ela e eu, eu e eu, giras, com um corpaço perrrrfeito (palavras de uma das minhas zucas) boas (de boazinhas), com um sentido de humor extraordinário, mas, infelizmente, nada parvas.
Isto tudo saiu de dentro de uma psiquiatra. Não confundam com psicóloga. A psiquiatria é um ramo da medicina, assim como a gerontologia, mas em mais novo e maluco. Se o facto de ter sido gerada dentro de uma psiquiatra não me atribui a especialidade médica, por outro lado coloca-me numa vantagem em relação às outras pessoas no que toca a topar com a doença psiquiátrica e os distúrbios de comportamento em geral.

Mas há aqui uma questão que me confunde: se a grande maioria dos blogues são um alter ego, o que chamar a um blogue que é criado para comentar outro blogue da mesma pessoa? Alter-alter ego? Heterónimos a la Pessoa? Desdobramentos de personalidade? Mas isso...

Isso, senhores, isso é uma cena borderline.

Vou repetir uma frase que já postei em, pelo menos, dois comentários de dois blogues diferentes. A mim parece-me que é por aqui:



38 comentários:

  1. "(...) se a grande maioria dos blogues são um alter ego, o que chamar a um blogue que é criado para comentar outro blogue da mesma pessoa?"
    Resposta cá do eu: estupidez, anomalia cerebral, dúvidas existenciais, alma à consignação.
    E não, não considero que um blgue seja um alter ego.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cá cinco, homem.
      Melhoras de dia para dia.

      Eliminar
    2. Lá mais cinco, então.
      Eu a melhorar sou um génio.

      Eliminar
    3. Ainda te enfiam dentro de uma lâmpada.

      Eliminar
  2. Olá meus amigos, como é maravilhoso encontrar sites com este seu. Parabéns pelo belo trabalho, já estou seguindo.
    Aproveitando a oportunidade gostaria de compartilhar com você nosso
    blog. Ficaremos felizes por vossa visita e mais ainda se seguir-nos.

    AGUARDAMOS SUA VISITA

    Atenciosamente

    Josiel Dias
    http://josiel-dias.blogspot.com
    Rio de Janeiro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, meus amigos e Josiel. Isto é um blogue, não um site. Mas vou já aí, a correr muito! Me agardem, meus chapas. Tchico-tchico-tá.

      Eliminar
    2. Ahahahahahahahahah agora foi a mim que me parou a boneca!

      Eliminar
    3. Eu explico:
      Tchico-tchico-tá, tchico-tchico-tá, tchico-tchico-tchico-tchico no fubá!
      :D

      Eliminar
    4. E era "aguardem"...
      O chico-smart anda a perder qualidades.

      Eliminar
  3. Eu nasci de dentro de uma gerontóloga. Pronto, aqui estamos.
    Mas quem, é quem é????
    Digo-te já que isso não é uma borderliner, é uma bloguer que tem uma missão, e a missão é chamar visitas, e a melhor maneira de chamar visitas é a falar mal. Vai tudo ver.
    Ora fala lá mal de mim a ver se eu não tenho logo 5452585458544 vistas.
    É golpe de marketing para depois ter vernizes à pala.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes tudo de velhinhos, assim como eu sei tudo de malucos.
      E o que me dizes de não ser só o novo blogue que comenta o antigo como também a inversa? Muito esquizo...
      Não falo. Não falo. Não falo ;) daqui não levas essa (nem precisas!)
      (não phallo, pensam os tarados que para aqui andam :D)

      Eliminar
    2. Um dia, estava eu em Odivelas, quando vi um senhor a falar ao telemóvel num frenezim brutal. Tinha dois aparelhos e ora falava para um, ora falava para outro, e entre a troca dizia 'sim, sim, mas espera que tenho aqui o Zé do outro lado' e lá falava com o outro e trocava e andava para a frente e para trás. Julgava a Uva que aquilo era a tal situação das redes, de ter dois telefones um para cada rede... qual quê! Em parando para ver onde parava o frenezim do homem, (totalmente distraída no meio da rua a olhar para ele - acontece-me imenso) pára uma senhora que me diz: não ligue, ele está a falar com ele próprio. É maluco.
      Aqui tens.

      Eliminar
    3. Ai que maravilha! :D
      Eu já mandei mails para mim mesma, conta? :)
      Isto aqui, acho que é isso e muita descompensação junta, também.
      A mim confunde-me que as pessoas, mesmo atrás de um boneco qualquer (a Porca, por exemplo), não sejam genuínas. Que montem um personagem e passem a acreditar que são aquilo, ou a fazer os outros crer nele. Mas isso sou eu, que tenho a mania.

      Eliminar
  4. Foda-se!!! (já se pode falar sem restrições neste blogue) :P
    Tu escreves palavras compridas como o caralho!! :P
    Estás a ver? Como nasci de dentro de alguém com apenas a 4ª classe, portanto ninguém com um curso superior, sou um grande labrego, certo?
    Então é isso que tu pensas de mim? ...está bem, ficamos assim.

    Já agora.. "o facto de ter sido gerada dentro de uma psiquiatra" não te "atribui a especialidade médica" nem te isenta de desenvolveres também tu (desejo que não) uma doença do foro psicológico.

    Se cada vez que abre um novo "blogue suspeito" eu fizesse disso um cavalo de batalha, já tinha cortado os fios!!

    (cortado os fios ao computador, para não computar mais!! :P)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mereci resposta... realmente... assim se tratam os labregos por gente fina... :(

      :'(...

      Eliminar
    2. Eu é qie me enganei na posição :P
      Desculpa. Na verdade, a culpa foi do chico-smart.
      Vou-te fazer um copy:
      "Ai korror, homem!
      Não, isso não faz de ti um labrego. Só não faz de ti uma pessoa atenta para um sector específico.
      E sim, posso sempre ficar (mais) doida :P
      Mas viste algum cavalo de batalha em algum lado? Hum..."

      Eliminar
    3. que*
      puxa, genitais.

      Eliminar
    4. Pois... de boas intenções...

      Eliminar
    5. É para onde eu vou, Guy.

      Eliminar
  5. Mas ele há, quem faça isso?
    Tu és de olhão, LP... Chafurdas, chafurdas, e topas tudo. :)
    Um beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há. Topo :)
      Nem sabes como me tenho divertido a ver o circo que montaram. :D
      As pessoas têm um cunho, ao escrever, ao qual é muito difícil fugir. E, quando escrevem daquela maneira e usam os mesmos truques nos blogues, é fácil chegar lá.
      Beijinhos, majestade :)

      Eliminar
    2. É o cunho, pois é!! Topa-se à légua!

      Eliminar
    3. Ora bem. Até podem mudar os "temas" (chamemos-lhes assim). Mas mantêm os mesmos erros, o mesmo grafismo (lamentável, diga-se), o mesmo histerismo na pontuação (!!!!), as mesmas técnicas de copy (imagens e textos), só falta assinarem por baixo.

      Eliminar
    4. Tou roída de curiosidade! Como é que alguém consegue ter dois blogs? Isto dá uma trabalheira do catano! Grafismo lamentável.... Hum... Eu conheço? Ahhhhhh que nervos!

      Eliminar
    5. É possível, mas algo improvável, que já tenhas visto passar os dois blogues cujas autoras abriram o tal outro. É daqueles "escritos" a duas mãos, sabes? Muitas imagens, muito copy-paste, tudo muito... sensuéle :D

      Eliminar
  6. Ai korror, homem!
    Não, isso não faz de ti um labrego. Só não faz de ti uma pessoa atenta para um sector específico.
    E sim, posso sempre ficar (mais) doida :P
    Mas viste algum cavalo de batalha em algum lado? Hum...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta resposta era para ti, homem :P
      Ficou fora do lugar.

      Eliminar
  7. Por acaso andava nas minhas viagens silenciosas pela blogosfera, quando me deparei com alguns posts em alguns blogues e respectivos comentários que me fizeram pensar que, daqui a nada, doida fico eu com tanto filme. E ocorreu-me: se há sítio onde o mal que há no mundo transparece bem, é cá nos blogues. Não é nada de esquizofrenias, nada de borderlines, nada disso. São coisas bem mais simples, mas bem mais difíceis de "curar".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É nos blogues e na internet em geral. Consulta a caixa de comentários de pasquins online e ficas estarrecida. Fel-fel-fel.
      A doença mental mais difícil de curar é, precisamente, a que é fácil de disfarçar. O diagnóstico tarda...

      Eliminar
  8. eu insisto na minha teoria: tudo issso é derivado de não terem roupa para passar! boa tarde, LP!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Teoria com a qual concordo, embora se possa virar contra mim: para ter dado por isso, também precisava de arranjar melhor ocupação :)
      Estes folhetins fazem parte da "vida" (virtual).
      Boa tarde, Mia!

      Eliminar
  9. Juro que não fui eu que abri outro para me comentar mutuamente!

    Mas chiba-te lá um bocado, quassim fico a conhecer 2 blogs novos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu sabes que eu sei que não foste tu!

      Achas? :P

      Eliminar
    2. Se me disseres, mudo o fundo do meu tasco!

      Eliminar
    3. Não sei se a troca é justa...

      Olha, como se costuma dizer, "Elas andam aí...". Mais tarde ou mais cedo, vais dar com isso.

      Eliminar
    4. Achas? É que a minha lista de tascos até é limitada.

      Mas sim, não seria uma troca justa, e sim chantagem.

      Bolas, que és difícil!

      Eliminar
    5. Não, ao contrário. Sou uma vendida.

      Não sou é parva.

      Eliminar