09/07/2018

orfandade

Esperava a minha vez na venda da fruta quando ela chegou com uma menina pequena pela mão. Somos vizinhas de rua há muitos anos, ambas temos quatro filhos e é tudo o que nos assemelha. Ela tem o cuidado de se demarcar pela distância e pela incapacidade de sorrir. Coloca a voz em modo snob, anasalado, arrastado nas primeiras vogais de cada palavra e um tom acima do necessário.
Olhou-me de cabeça baixa, os olhos pequenos em alvo disparando setas, por cima dos óculos, a testa numa persiana, e "Olá", seco. "Bom dia, Paula, está boa? Que bonita que é a sua Maria". Sem resposta, dirigiu-se à criança: "Espera, Maria, que somos já a seguir. A avó não te pega ao colo porque tem dói-dói". E eu para ali, cheia de contradições na cabeça, de entre as quais que não, que ela e a neta não eram as próximas a serem atendidas.
O funcionário da mercearia perguntou então quem estava a seguir, ela disse "Sou eu", e eu esclareci-a: "Não, Paula, não é a Paula que está a seguir, sou eu. Acontece que eu dou a vez à minha vizinha, tendo em conta...", eu num sorriso, derretida de parva que sou com uma criança, ela cheia de pedras no olhar, "Olhe, não é por ser sua vizinha, é porque as crianças têm prioridade", e lá se aviou, demorada e arrogante, enquanto as cinco pessoas que ali estavam à espera abriam bocas e olhos de espanto mudo e incapaz, e eu, toda órfã, engolia uma enxurrada de lágrimas feitas de brita pontiaguda, Mãe, mãe, mãe.

6 comentários:

  1. Olá Linda !
    És mesmo engraçada. Compreendo-te tão bem. Há mesmo gente muito parva. Mas acho que fizeste muito bem . Primeiro levou o " chá " e depois deste-lhe a balba.Noutro dia ,foi comigo. Fila para pagar no super. Um velho à minha frente e 1° da fila,resolveu deixar passar um palerma q só levava uma coisa.Tomou a iniciativa sem o outro nada lhe ter pedido. Mas assim acabava por me passar tb a mi ,q estava logo atrás do velho. Eu aguentei ...muito raro em mim ,mas n devia ter-me calado. Boas acções à conta dos outros ? O Totó agradeceu ao velho e nem olhou para mim. Viste ? Fiquei com uns nervos.

    ResponderEliminar
  2. Há pessoas muito estúpidas (odeio esta palavra, só a digo quando estou muito zangada) e depois há pessoas com um coração enorme a quem me apetecia dar um grande abraço não virtual. Releva a estupidez da Paula e as lágrimas deixa-as correr...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Be. Havemos de combinar esse abraço, que há muito te quero dar.

      Eliminar
  3. De facto, há pessoas com uma visão tão estranha da vida... que atitude tão feia...
    Infelizmente, a única coisa que podemos fazer, é tentarmos contrariar a parvoíce de algumas pessoas tentando ser um pouquinho melhores :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Cacao, mas esta pessoa só me apanhou num dia touchie. Noutro qualquer, para além de não lhe dar a prioridade (que ela não tinha), ainda lhe teria respondido à letra. Passei há muito a idade de levar desaforo para casa, como dizem os brasileiros :)

      Eliminar