29/06/2017

Post interdito a machos # 3

As verdades são para serem ditas.
Isto não pode ficar assim.

Hoje vimos aqui falar de sutiãs, aquela peça. Já não é a primeira vez que o fazemos cá no espaço cultural, pelo que já não dói tanto. Lembro-me até de uma vez ter escrito um sentido trecho acerca de dois dos meus sutiãs — um branco e um preto —, que se reproduziram e brotaram no Mundo um terceiro elemento, rigorosamente igual ao branco (Mendel e suas leis têm destas idiossincrasias, não podia o filho ter vindo cinzento?), milagre reprodutor que ainda hoje não resolvi dentro da minha cabeça ou sequer da minha gaveta. 
Ora, acontece que esses dois — que passaram a três — fornicadores, eram fabricados pela Triumph*. E foram caríssimos. Há para aí uma década, custaram 25 paca cada um. (Eu já devo ter sido rica e não me lembro.) A cena de não vestir sutiã preto sob roupa branca nem vice-versa, obriga-me a esta dualidade constante, seja qual for o modelo que adopte. Este ora em discussão, era cai-cai e, como a grande maioria dos sutiãs desse tipo, tornou-se, com o passar dos tempos, um pequeno inferno que cai e cai e puxa as meninas para baixo (como se elas precisassem de desculpas para o fazer, a Natureza é exímia nessas merdinhas), para além de terem uma banda de silicone que se agarrava à pele e a mim me punha numa suadeira de dar dó por um lado, e repugnância pelo outro. O desconforto era tanto que já evitava blusinhas de alças e tops sem alça nenhuma. 
Ora, acontece também que este ano se usa tudo sem mangas, sem ombros, com alças fininhas, ou sem alças. E eu lá sou mulher para andar a exibir a alça do sustentório mamário, ou para aguentar a alça de silicone, que se rebenta, que se solta, que se agarra daquela maneira? (Sim, podeis gozar, sou alérgica ao latex também.) E fui descobrir na Primark** o belo e excelente e único e óptimo sutiã cai-cai, que dá pelo nome de Multiway (porque traz alças, que se podem colocar em paralelo ou cruzado), e custa 7 euros. Eu repito: sete euros. Aquilo põe-se e nunca mais sai do lugar — nem ele, nem as petizas —, ainda que uma pessoa corra, mesmo que salte, até que dance a lambada e a estalada. A sério. Nunca tive sutiãs tão bons na minha vida, nem nunca mais quero ter. É que nem apetece tirá-lo para dormir. (E tomara que não caia.)

(Podia ter ilustrado isto com fotografias, pois podia? Era. Mas os meus, não fotografo por razões óbvias. E as fotos que estão na nettinha são tão más, que resolvi fazer assim, desta vez.)

* Ninguém me paga para me calar
** Ninguém me paga para isto

8 comentários:

  1. Quanto mais "rococo" é o sutiã, mais caro e desconfortável...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. True, true. Só quem passa por elas!

      Eliminar
  2. Hum,mto me contas...e isso é coisas para sustentar maminhas mais...Vá, avantajaditas??!!?? (E já com a lei da gravidade a ganhar terreno)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também! Pelo menos até à copa G, estás garantida :)

      Eliminar
    2. Vou investigar isso ;)

      Eliminar
    3. Fá-lo :)
      (Também tem linha de pré-mamã. É um nunca acabar.)

      Eliminar
  3. Eu uso 75D (costas estreitas e copa grande) e desde que descobri os soutiens da Primark não quero mais nenhum. Prefiro comprar de 3 em 3 meses um por 5€ do que comprar um todo xpto por 40€ por ano!! Bendita feira!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O truque também passa por acertar na copa correcta e na medida das costas. Uma copa errada é a ruína de qualquer sutiã, da Primark ou de outra qualquer marca. Mas, uma vez encontrada, os de lá são absolutamente irrepreensíveis. (E giros, já agora.)

      Eliminar