08/01/2016

Saborosas porcarias

Estou numa das melhores cafetarias que conheço. Vivi uma semana inteira da minha vida neste hospital, como acompanhante, sem nunca ter visto a luz do dia, a não ser pelas janelas. Curiosamente, foi aqui, na Luz, que revi a luz dos meus dias. Estou grata ao ar que aqui respiro, às paredes desta casa, às caras que conheço e também às outras, que não. É tudo luz.
Pão de alfarroba, saladas de fruta variadas, sumos naturais e gente que sorri. A mim, que entrei só para tomar um café, rói-me a indecisão quanto à escolha, agravada pelo facto de o pequeno-almoço já ter mais de três horas na barriga, onde já não está.
- Isto aqui é tudo uma porcaria. — diz ela, arrastada, roufenha, velhíssima, míope, azeda.
Decido-me, enfim, pelo pãozinho de cereais com queijo fresco e pelo sumo de melão e gengibre. Adoro estas porcarias tão boas.

8 comentários:

  1. Que tudo se resolva da melhor forma possível .Tudo irá correr bem !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já resolveu, José. O texto do link refere-se a uma situação com seis anos :)
      Obrigada na mesma.

      Eliminar
    2. Leituras e / em filas de trânsito ...dá nisto ! :(
      "Vivi "... até recordei agora já ter lido outro post teu, onde foi descrita essa semana de sofrimento !

      Eliminar
    3. Não leias no trânsito. Nunca é boa ideia. Um engano num comentário (pelos vistos, também escreves) é o mínimo que te pode acontecer.
      :)
      Foi quase um ano. A semana foi a do tratamento e do alívio.

      Eliminar
  2. Há pessoas que só gostam mesmo das outras porcarias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Calhasse a haver uns pastelinhos de bacalhau ou uma saladinha de orelha de porco (pela qual também me pelo, mas não às 11 da manhã), e a senhora já não teria reclamações a fazer...

      Eliminar
  3. Pezinhos de coentrada. Nada mais acrescento ao salivanço a não ser o meu apoio à elevação de bem material do universo com o endorse do George Lucas.
    Filipe Coiso...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Património surreal da Humanidade!

      Eliminar