07/01/2016

Eu sou aquela pessoa que nunca, em circunstância alguma, deves levar a passear à rua # 23

Era uma vez uma rua de Lisboa que, como qualquer rua de Lisboa que se prezasse, entroncava noutra rua de Lisboa — aquilo a que, vulgarmente, se chama cruzamento —, mas não formava esta um cruzamento com a outra, já que, conforme o nome bem indica, não havia ali nenhuma cruz ou X. Era mesmo um entroncamento ortogonal, já que formavam as duas um T. E isto, parecendo que não, faz a sua diferença, nomeadamente para se perceberem fenómenos do tipo daquele que sucedeu ali, à laia de fenómeno do Entroncamento (alô, povo do Entroncamento, cá beijinho, que eu sou fã de vossas cabras bicéfalas e de vossos porcos tetra e pentapatudos!): um sinal de STOP implantado imediatamente a seguir a uma passadeira de peões.


Ora, vamos lá a ver: eu percebo que se queira impor a cedência de passagem a veículos que surjam pela esquerda, em excepção à regra da prioridade pela direita. Até aí, tudo clarinho e translúcido. Mas custa-me, não sei porquê, imaginar que, da próxima vez que ali passar,

Hipótese 1. 
a) Paro para deixar passar o peão que se agiganta na passadeira;
b) O peão passa na passadeira;
c) Fico parada, em cima da passadeira (o que é proibido), em obediência ao STOP.

Hipótese 2. 
a) Paro para deixar passar o peão que se agiganta na passadeira;
b) Não calha passar nenhum peão na passadeira;
c) Fico parada, em cima da passadeira (o que é proibido), em obediência ao STOP.

Hipótese 3. 
a) Não paro para deixar passar o peão que se agiganta na passadeira (o que é proibido e arriscado);
b) Fico parada, em cima da passadeira (o que é proibido), em obediência ao STOP.

Hipótese 4.
a) Não paro para deixar passar o peão que se agiganta na passadeira (o que é proibido e arriscado);
b) Não paro em cima da passadeira, em desobediência ao STOP (o que é proibido e arriscado).

Só terei, em resumo, que escolher entre praticar uma ou duas proibições e correr um ou dois riscos. Deve depender da mood do dia.

12 comentários:

  1. Só tu para reflectires de forma tão cuidada sobre tal coisa!

    Beijocas, Lindona! Adorei que não tivesses partido, caramba! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até a mim me canso!

      Obrigada, Marioca.
      Beijocas :)

      Eliminar
  2. Compras uns óculos para ver ao longe e quando vires o STOP, páras imediatamente antes da passadeira. Não? Também não percebo um nabo de regras. Sou uma delinquente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ou uns binóculos de ver ao perto, que isto é coisa para embrulhar o olho da consciência.
      Eu até achava que percebia, mas agora vejo que não. Literalmente.

      Eliminar
  3. Blue, ainda bem que reconsiderou. Estou com a Maria, faz cá falta!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há pessoas, como a Miss Smile, que não me deixam ir embora. Já é muita amizade :)

      Um beijinho, e obrigada.

      Eliminar
    2. Pois é, querida Blue, é o que eu digo, são os a(braços) que não nos deixam ir :)

      Eliminar
    3. Amarras, saborosas amarras, é o que eles são, Miss Smile :)

      Eliminar
  4. Até tenho medo que te raptem :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então porquê? Infernizava a vida aos desgraçados...? :)

      Eliminar
  5. LB, regressa em grande "estilo " !
    Telheiras é o que está a dar !
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É lá, é, este pequenino contratempo :D

      Eliminar