27/01/2016

Queremos xilrear

Aderi. Nossa Senhora Presidente assim determina, fá-lo-emos em força e sem pestanejar (esta última parte, será a mais penosa de manter, drivados ao eyelash power, mas nada é impossível, já lá dizem os senhores da Adidas, parafraseando Muhammad). 

Hoje até tinha coisas para dizer, e estou aqui a segurar os dedos e as teclas, mas vou manter a minha decisão. Calhava-me que nem ginjas era uma greve de fome, mas isso, se calhar, já é pedir muito. Não sei se afecta a alguém que eu pare de escrever enquanto não se resolver este quid, mas a mim afecta-me muito, nomeadamente os nervos, muito em particular os que repassam pelas pontas dos dedos.

Estou sem tempo para melhor texto de manifesto, por isso peço-te, Xilre: volta. E traz o Andrada, a Orchidée, Le Pauvre J., a Dona Aureliana, o teu pássaro, a afortunada destinatária de maravilhosos textos, e tudo o resto, que é tanto. Traz a inspiração, e nunca expires.

(Devias juntar-te a nós, nesta luta — que, no teu caso, será uma luta contigo mesmo, mas paciência — pelo teu regresso. Até já, camarada.)

4 comentários:

  1. Avante, camarada, já somos muitos nesta caminhada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Avante! Junta a tua à nossa voz!

      Eliminar
  2. "uma gaivota voava, voava..."

    Força: "assim se vê a força da LP"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apesar de as gaivotinhas não xilrearem, é bastante pertinente, essa tua lembrança :)

      Estamos xunidas!

      Eliminar