05/02/2016

O voo no olhar

Há uns anos, largos, ainda eu olhava para ele e via um menino pequenino, encontrou no chão da rua um gato branco, de plástico, e ofereceu-mo, com a solenidade com que se oferece um tesouro — e eu recebi-o com a honra com que se recebe uma raridade, porque era —, e disse-me: É para pores no teu porta-chaves. 
E eu pus.
~
Esta semana, emprestei o meu carro a uma das irmãs, que me anunciou, no regresso: Perdi o gatinho que tinhas no porta-chaves.
~
Hoje deixei-os a todos na porta de embarque. Saíram do carro, cada um com uma pequena mala de rodinhas e voos no olhar. Todos de calças pretas, pareciam uma banda de rock. Os meus The Corrs
Ele tinha-me dito, antes de sair de casa:
- Eu não tenho medo de andar de avião.
- Olha que bom. Não vos consigo ensinar nada. — Respondi, sem mais resposta, mas contente por não transmitir más energias.
- Eu só tenho medo pelas pessoas que cá ficam. — Disseram os olhos enormes, e eu vi-me ali tão bem. Uma vez morri de medo porque fiz uma viagem de avião com a minha irmã e ocorreu-me que os meus pais ficariam órfãos se aquilo caísse. — Não tenho medo de cair, tenho medo é disso: do sofrimento das pessoas.
As pessoas sou eu e o pai dele. Tão eu que até dói.
Demos um abraço apertado, que não foi de despedida, enchi-lhe a cara de beijos e disse-lhe:
- Tem calma, vai correr tudo bem. Aproveita e diverte-te.
- É só pelas pessoas que cá ficam. — Disseram os olhos enormes, tão meus, e depois viraram costas, com a mala de rodinhas e o voo no olhar.
~
Vinha a chegar à porta, de asas vazias, e encontrei o gato de plástico — todo sujo, quase preto, de tanto ser repassado pelos carros, mas inteiro.  
Inteiro, é também aquele olhar.

20 comentários:

  1. Vai ser bom ver esse olhar cheio de coisas novas, no regresso.
    Menino mailindo, caraças!

    Beijo, Lindinha azul :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai. E o meu a recuperar o brilho, que eu sou uma egoísta :)
      É mesmo. Muito.

      Beijo, Mary :)

      Eliminar
  2. 2 coisas: A primeira e a segunda por esta ordem, mas depois, se quiseres podes trocar

    -Os The Corrs não são uma banda de Rock. E mesmo assim até têm um som agradável...

    -Adorei o texto.

    Pronto. É só!

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. - Eu disse que pareciam uma banda de rock. E pareciam mesmo. Os The Corrs é o que eu lhes chamo há anos, pela coincidência :)
      Pop rock, serve, Mr. Music? :)

      - Obrigada!

      Eliminar
    2. -Pop Rock Irlandês

      -Homessa, por quem sois...

      :)

      Eliminar
    3. - Adjudicado ;)

      - Errr... Benfica :)

      Eliminar
  3. E quando voltarem, cheios de (mais) alegria e aventuras para contar? E que bons que são os abraços do regresso?!
    Descansa esse coração que tarda tens quatro pares de braços enrolados no pescoço.
    Beijo grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vão voltar maiores e mais ricos, é nisso que me devo concentrar.
      E esperar os oito braços, em troca dos meus dois :)
      Beijinhos, Be

      Eliminar
  4. The Corrs é uma banda de folk rock e pop rock da Irlanda constituída por três irmãs e um irmão da família Corr: Sharon, Caroline, Andrea e Jim.
    Desfeitas eventuais dúvidas? :)

    O teu texto, Linda, é um big texto.

    Ps: Ss manas Corrs são giras. Que me caia um avião em cima se não é verdade :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu não me digas que não sabias isso de cor! :D

      Eliminar
    2. Sabia, pois claro, tinha que saber.
      Foram muitos anos a ... 'radiofonar'.

      Eliminar
  5. E o coração fica mais pequeno com olhares desses...
    :)
    Um beijo LB

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fica. Mas depois estoura nos olhares do regresso.
      :)
      Beijos, Impy

      Eliminar
  6. Logo chegarão carregados de aventuras para contar e alegrar esse coração :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tudo o que eu quero. Não que regressem já, porque galinha, mas não tanto. Mas que regressem cheios, isso sim :)

      Eliminar
  7. Mas é q é mm isso. Se a lata cair, acabou, cai. São uns meros segundos, nem deve dar p sofrer. Mas...e quem cá fica... imagina desta vez q cá deixei a cria...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem quero imaginar aqueles últimos 3 ou 4 minutos dessas pessoas, coitadas. Antes uma bomba, tudo pelos ares, literalmente.
      Corajosa, tu. Eu teria feito um testamento afectivo, que eu sou A drama queen.

      Eliminar
    2. Disse q queria fazer uma carta p o meu puto, chamaram-me doida, tu vê lá.
      Cá beijinho. Alguém q me compreende.

      Eliminar
    3. Eu faria com toda a certeza.
      Cá beijinho, Me.

      Eliminar