22/02/2016

Erros meus, má fortuna

Sei escrever, mas não sei ler. Sou, portanto, desanalfabeta. 
Escrevo com o maior esmero de que sou capaz, comprei mesmo um teclado especial, de teclas altas e poderosas, que é a minha inspiração maior, pois que quando posto pelo portátil ou por chico, o smart, me parece que não é igual, não sou a mesma, sai tudo de viés, que é como quem diz inviesado. 
Também não vou melhorar a forma como escrevo, porque o faço ao sabor da maré e ao correr da pena, que pena, que são estas vinte e sete teclas do teclado português, se não contarmos com as vírgulas — das quais abuso —, nem com os pontos finais — que me custam sempre a pôr. 
É muito, mas mesmo muito raro dar erros ortográficos. Não por ser mais sabichona do que qualquer pessoa, mas, eventualmente, por ser mais atenta: porque edito os meus textos e leio-me. E releio-me. Até me treleio (e invento neologismos), antes de publicar. E depois tetraleio-me, quando já publiquei. E reedito-me. Refaço-me, reinvento-me, reconstruo-me, a cada texto. Mesmo aqueles que sei que pouca gente vai ler (ao sábado e ao domingo, isto desce para metade, por conta do horário laboral, kudos e kisses para quem trabalha 9 to 5 — 5/7). Sou também mais chata do que todas as pessoas que conheço. Admito um transtorno obsessivo com erros de ortografia, uma compulsão maior do que eu, que me domina mais do que um vício, que me compele a largar tudo, agarrar num lápis encarnado (azul, não, por uma questão de coerência — política, também) e corrigir, à bruta, até partir o bico do lápis no ímpeto da emenda, pior que o soneto. 
Mas também já cometi erros. Já aconteceu virem aqui ao lindinho apontar-me o dedo a erros meus — tudo às claras, na caixa de comentários. E eu deixei, porque também gosto de sofrer e de me vitimizar, e de ser igual.
Outro dia cometi um erro. Foi neste post, e nesta frase: sem um espelho que reflicta os seus lados lunares. Ficou umas horas escrito sem um espelho que reflecta os seus lados lunares. Depois dei pelo erro sozinha, numa penta ou numa hexaleitura, e corrigi-o. Tinha, inicialmente, escrito sem um espelho a reflectir os seus lados lunares. Mudei o tempo verbal, alterei a terminação do verbo, mas não li com a devida atenção a frase toda, pelo que ficou publicada aquela bela coisa.
Ninguém me escreveu a dar conta do erro. Era sábado, eventualmente ninguém reparou, ou não quiseram dizer-me, nem na caixa nem por mail. Esse é outro dos impulsos que, aos poucos, tenho vindo a conseguir reprimir: o de mandar mail a avisar de um erro, ou de uma gralha, num texto que não é meu. Não por me achar a maior, ou para marcar posição enquanto (ainda mais) a Edite Estrela desta bola (ao menos, Linda Estrela), mas por saber que há quem use a caixa de comentários para o fazer, e nem sempre da forma mais simpática (basta dizer que o faz de forma a que toda a gente que lá passa leia). 
Ou seja, estou melhor, mas ainda não estou curada. Basta olhar para este post — que eu nem sei por que é que escrevi, e ficou todo o dia pendurado no bengaleiro dos rascunhos —, e perceber que todo ele é, em si mesmo, um grande erro.

16 comentários:

  1. Leio o teu blogue há para aí um ano e sempre te conheci isso que dizes ser 'um transtorno obsessivo com erros de ortografia'. ;)
    Não é bem, bem um defeito, é feitio, pronto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu só queria perceber e até tratar-me. A sério. Aliás, comecei o texto de uma maneira e depois guinei à direita. Porque, na verdade, os erros ortográficos bloqueiam-me de tal maneira a leitura, que depois já não apanho nada do que vem a seguir. Fico ali às voltas com aquilo... :)

      Eliminar
  2. Erro seria não o teres publicado. :)
    Também edito os meus textos vezes sem conta e irrito-me quando encontro erros depois de os publicar.
    Beijos Linda Azul

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Impy :)
      Sabes que eu acho que esse gajo, o blogger, nos vai lá colocar os erros, estrategicamente para que não os vejamos, já depois de publicarmos? Aquilo é o diabo.
      Beijos, Big Girl

      Eliminar
  3. não é, não. eu agradeço sempre que me corrijam. erros ortográficos ou de sintaxe não me parece que dê, pois também "metreleio" bastante, mas às vezes, passam-nos ao lado. tens autorização para enviar um mensageiro via fibra ótica abanar-me as orelhas. agora, quanto à pontuação, que a fazia de olhos fechados, dou comigo em grandes calinadas.
    Beijinhos,
    Mia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha que eu também ando a perder qualidades quanto à pontuação. Ando a tentar tratar-me da mania das vírgulas, e agora dou comigo a não as pôr. Também está bonito, está.
      Beijinhos, Mia

      Eliminar
    2. Isso de nos lermos várias vezes nem sp resulta. É como ler aqueles textos em q faltam imensas letras e mm assim conseguimos ler tudo. O nosso cérebro pensou naquilo, eu posso ler 6 vezes, o meu cérebro vai sp ler aquilo q queria escrever.
      Só dias depois é que dou com o erro...

      Eliminar
    3. Pois não. Só isso explica que eu hexaleia e ainda deixe lá ficar aquelas pérolas como a do reflecta. Ou outras parecidas.
      Bem feita, que é para não ter a mania.

      Eliminar
  4. Esquece. Isso n tem cura. Tenho um corrector ortográfico andante cá em casa. É horrível. Corrige toda a gente. A mim, várias vezes. Eu cá sou de números, ele é q é de letras :p
    Não tem remédio.
    Mas eu compreendo. Dou erros, alguns. Mais de construção de frases ou pontuação do que ortográficos, é certo. Mas é mau, que é.
    Eu aprendi a lidar com as correcções dele. Afinal eu é que estava errada, não ele.
    Se calhar não és tu que tens de mudar. ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu agarra esse corrector com unhas e dentes, Me, que uma pessoa assim não tem preço. Falo por mim.
      Obrigada pelo alento. Eu preciso de apoiantes para a minha causa :)

      Eliminar
    2. Tens todo o meu apoio. Agora a sério, as pessoas deviam ficar mais preocupadas com o erro (grave, nalguns casos) q deram do q com a correcção.
      Eu q n sou assim já tive de me conter uma mão cheia de vezes p n atacar malta no FB...Há erros q n se admitem, a sério!

      Eliminar
    3. Acredita que essa é uma das principais razões por que eu não tenho FB. Ia enervar-me desnecessariamente, e ter uma página pejadinha de haters.
      Não se admitem, mesmo. E são recorrentíssimos!

      Eliminar
  5. Mas isso não era um erro, era uma gralha.
    Viva o Português escorreito!

    Bom dia, Linda :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, que eu, em malabarismos de edição, transformei em erro :)
      Viva!

      Bom dia, Maria :)

      Eliminar
  6. Eu acho sempre que não escrever é que é um erro. Aliás escrever é uma ato de comunicação e como tudo na vida, às vezes não é perfeito. Confesso que não dou muitos erros, mas às vezes encavalito as palavras num trote de cavalo veloz sem vírgulas. Ando-me a curar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também ando em mutação. Já pus as vírgulas todas que mandava o figurino no tempo em que aprendi a escrever, já me disseram que ponho vírgulas a mais, ando a eliminar algumas da escrita, mas acho mesmo que ando a eliminar as que não devia. Não sei se estamos sempre a aprender ou sempre a desaprender...

      Eliminar