27/01/2015

E quando a Humanidade chora num dia em que tu sorris?

Este dia é grande e bom e cheio de sol para mim. Vai ser sempre, para sempre, um dia cor-de-rosa, porque não calhou ser azul. O ventre redondo de uma mãe é capaz de entender isto. Hoje, por pouco, sinto que tive um filho no dia de finados. Ou no dia em que me morreu o meu pai, que também podia ter acontecido. Deve ser isto que sentem os homens cuja amada morre no parto e ficam com uma criança nos braços. Para sempre a comemorarem o dia em que morreram de tristeza. Mas é bem verdade que todos os dias se nasce, todos os dias se morre. E quantas vezes não andamos em contramão, felizes da vida no meio de uma multidão infeliz? A inversa também é verdadeira, pois claro. Portanto, hoje eu estou feliz. E vai ser sempre, para sempre, um dia cor-de-rosa, porque não calhou ser azul.



15 comentários:

  1. Felizmente que há uma conta-corrente contra-corrente. :)

    ResponderEliminar
  2. Percebo...por exemplo...a minha mais nova nasceu a 10 de Setembro...comigo a rezar aos santos que conhecia e aos que não conhecia...que não fosse a 11 caso contrário o nascimento dela iria sempre lembrar-nos o 11 de Setembro...

    Bom dia:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E se eu te disser que tive duas DPP para 11 de Setembro (embora ambas anteriores a 2001)?
      Acabou tudo bem, uma deu para 16 e a outra para 31 de Agosto :)

      Eliminar
    2. Desculpa a burrice...tiveste duas DPP?!?!??!...isso é o qu^?!

      Eliminar
    3. Isso não é burrice, é falta de Google it :)

      Eliminar
  3. Vai saír um Google it também para mim?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não és minha mãe mas és uma querida, o que vai dar (mais ou menos) ao mesmo.
      Linkei, tá linkado.

      Eliminar
    2. E é que sou.
      Reconhecida pelo reconhecimento :)

      Eliminar
    3. Xiça, nunca mais te elogio! ;-)

      Eliminar
    4. Olha agora! Só agradeci... :D
      Já não se pode ser educada, cortez, refinada, chique...

      Eliminar