20/08/2015

Também tive os meus pontos altos, estas férias # 4

As pessoas já não vivem, mas filmam e tiram fotografias. Não é que estejam mortas, conseguiram foi um patamar intermédio entre viver e morrer, que é o da captação de imagens. Enquanto o fazem, não podem dizer que estão a viver — logo, não estão vivas —, mas também não estão propriamente mortas, porque os mortos não filmam e, até prova em contrário, não fotografam. 

A praia imolou-se, no último dia de férias.
[Gosto desta frase para título de livro. Sei que nunca escreverei nenhum, mas já tenho uma boa dezena de títulos escritos.]

Não sei lá como, deflagrou um incêndio, a uns bons quinhentos metros de onde eu me encontrava, se não estendida na areia, pelo menos lá pousada. Foi quando o povo se ergueu, e eu, em atitude igualmente povina, fi-lo também. E fiquei a assistir ao incêndio, enquanto assistia também à profusão de telemóveis e máquinas fotográficas que logo se apontavam, aprontando-se para o disparo e para a fita. Grande parte da multidão sumiu-se lá para mais perto do fogo, não para se queimarem mais do que o sol já estava a fazer pelas suas peles, mas, exactamente, para tirarem grandes planos do pequeno evento. Eu fiquei para trás, mas não me quis ficar atrás, e tirei um único retrato, com a desculpa mental de que era para vocês. Não fui lá para perto, porque sou egoísta, preguiçosa, desinteressada pelas trivialidades da vida, mas, essencialmente, para poder viver o incêndio.



Reportagem da TVI24, e apneia para o momento em que é proferida a frase Estas chamas são bem ilustrativas do fogo que ardeu. Luís Vaz não diria melhor.

6 comentários:

  1. Tudo parou para ver o fumo, a tal coisa que não existe sem fogo.
    Falaste em TVI24? O que é isso?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Repara que só há mulheres na foto. Os homens zarparam,
      1 - para ver de mais perto;
      2 - para fotografar;
      3 - para verificar se o fogo não chegava aos carros.

      É o Jornal do Incrível a cores.

      Eliminar
  2. Olá LB !

    ... " Estas chamas são bem ilustrativas do fogo que ardeu " ... alguém deitou-lhe um frofro !
    Digo eu !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sinceramente, não cheguei a saber porquê. É que nem me informei. O costume.

      Eliminar
  3. "Do fogo que ardeu..." e são estes gajos jornalistas. Espero que alguém na redacção lhe tenha dito para ir aprender a falar português xD
    Nós, bloggers de sucesso, temos o dever moral, a obrigação de partilhar estas cenas, logo podemos fazer muitas reportagens fotográficas que temos carta branca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na redacção, provavelmente, são todos assim :D
      Olha, eu partilho da tua opinião :)

      Eliminar