02/08/2015

Como abraços para chocolate

Sabes aquelas caixas de bombons, que uma pessoa vê a tampa e fica deliciada antes de abrir, abre e fica deliciada antes de comer, porque todos lhe parecem tão bons? Quase se obriga a escolher um, quase um qualquer, quase o que lhe parece menos bom, porque tem os outros, para saborear a seguir. Começa pelo de chocolate negro, sem recheio, depois escolhe o de chocolate de leite com recheio de avelãs, e fica sem saber qual dos dois é o melhor. Vai ao de chocolate branco, e sabe-lhe pela vida. A seguir come um com recheio de trufas, sempre sem saber qual, de todos, lhe sabe melhor. Quando come o de recheio de manteiga de amendoim, pensa que aquele sim, é de todos o mais saboroso. E tem que recomeçar, provando, só mais uma vez, cada um, para ser ajudada por si mesma na escolha, que sabe intimamente ser impossível, mas, por teimosia dos sentidos, insiste em repetir a prova, em contraprova, para, caixa vazia, poder afirmar-se, satisfeita, Não sei de qual é que gosto mais. 
É de todos.

Assim são os abraços, como chocolates bombons — escolher um é irreal, porque a realidade nos diz que todos sabem a chocolate, e não seremos capazes de decidir qual, de todos, é, verdadeiramente, o bom abraço. Qual foi, até hoje, o abraço que nos preencheu e nos devolveu aquele bocado que nos falhava? Foi o abraço amigo, dado naquele dia e no exacto momento em que a tormenta nos atingiu em cheio, foi o abraço gordo, que nos confortou da magreza que carregamos, foi o abraço molhado, salgado ou doce, que nos fez urgentes nos braços todos, foi o abraço quente, que nos quis aquecer, já quentes, foi o abraço enorme, protector, quando caímos e nos latejaram os joelhos na laje, foi o abraço infantil, protegido, que nos foi estendido e dado sem reservas nem porquês, foi o abraço à distância, dado sem braços, recebido e enroscado?

Todos sabem bem, todos são deliciosos, todos são os do momento certo.
Sou inapta para decidir. Fico com todos, um a um, a caixa inteira. 

Faltam os que não são, assim como os chocolates não saboreados. 



6 comentários:

  1. É por essas e por outras que evito dar abraços. Não vá um dia ficar agarrado.
    Prefiro os ósculos ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os ósculos agarram na mesma :)

      Eliminar
    2. Com esse é que me tramaste! ;)

      Eliminar
  2. Deliciosa caixa de chocolates.
    Também não conseguiria escolher...são todos tão bons! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Daquelas situações em que te dão a hipótese A, B, C ou D, e escolhes A, B. C e D ;)

      Eliminar