02/07/2015

Há homens melhores do que eu

Não se percebe a mania, que algumas pessoas têm, com a perfeição. E depois gabam-se de serem perfeccionistas. Ser perfeccionista é um defeito, é um exagero, é uma compulsão, é um transtorno obsessivo, é a canalização, mal enjorcada, mal encanada e entupida, de uma frustração qualquer. Querer fazer bem feito, é normal, é ideal, é preferível. Recompensa a nível pessoal, profissional, social, e até amoroso. Querer ser sempre o maior, o mais alto e o melhor em todas as empreitadas, é só uma perda de tempo e uma fonte de lágrimas, nem que seja daquelas secas, que escorrem pela garganta. E, vá, que depois se transformam em tiques e em alergias e outras manias que tais.

O meu blog, por exemplo. Eu não quero, nem tenho capacidades, para tornar o meu blog o melhor do mundo, ainda que por mundo eu entenda a nossa pequena blogobola. E isso não me chateia. Eu gosto muito do meu blog, adoro a minha Porca, de tão melhor do que eu ela é, e de tão pior também, mas tenho a perfeita percepção de que existem trezentos milhões de blogs mais lidos, mais interessantes, mais duradouros, mais-mais, do que este meu. Também não estou cá para sempre, e é um alívio pensar nisso.

As pessoas não são perfeitas. Têm um olho maior do que o outro, os dentes tortos, a barriga saliente, um cabelo esquisito. As pessoas têm características únicas, de tom de pele, olheiras de guaxinim, sinais de nascença, queixos tortos, têm cheiro, sabor, temperatura, textura da pele, timbre, tom e som na voz, maneira de andar, gestos de cabeça, sombras no olhar, e é tudo isso que as faz maravilhosas. Uma pessoa bonita, linda de morrer fulminado, normalmente, é só isso, porque esse isso forma uma barreira que intranspõe para o resto que possa existir. O que é verdadeiramente importante, como se costuma dizer, é que cada um se sinta bem na sua pele.

Eu tenho muitos defeitos. Parti a cabeça vezes a mais, fui operada a mil pedaços, o meu corpo tem uma longa história para contar, que nem eu tenho paciência para ouvir completa. Os meus dentes, não sendo tortos, não são direitos, mas são os meus e eu não quero outros. Tenho um pé maior do que o outro, o que é um aborrecimento para comprar sapatos fechados. Tenho marcas, manchas, calos e pêlos. E os braços mais gordos do universo, que me dizem, todos os dias, que nenhum ET tem uns braços assim. E, no entanto, sou linda. Sou completa. Sou inteira. Não sendo perfeita, sou perfeita. Ao contrário do meu blog, vou estar cá para sempre. Sou eterna — pelo menos, enquanto durar.

Dou comigo a cantar-me isto, tantas vezes, que quase acredito nas mentiras que me digo, e nas verdades que me peço para nunca me revelar.

(Independentemente da controvérsia que me inspira este senhor, o poema que ele aqui canta fala comigo. E diz-me coisas certas, e nunca demais repetidas, ao contrário da história da minha vida.)

16 comentários:

  1. E há tanta beleza, tanta perfeição nas nossas imperfeições, exatamente por ser únicas e por serem nossas.

    Não sei se o seu blog é o mais lido, mas eu gosto dele, porque é genuíno, porque respira vida, porque é de carne e osso.

    Um beijinho, LP :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E levamos tantos anos a perceber isso. Talvez porque levamos muitos anos a construir as nossas imperfeições.

      Não é o mais lido, longíssimo disso. Mas é o meu, como o são os meus dentes.
      Miss Smile tem o seu enorme espaço, em que o número de seguidores e de visitas não é, nem pode ser, a balança de medição da sua qualidade.

      Um beijinho também, minha querida :)
      (Vou guardar que o meu blog "respira vida, porque é de carne e osso" :) Foi dos elogios mais bonitos que ele recebeu)

      Eliminar
  2. O que faríamos nós com a perfeição, se esta não fosse utópica? Ficava arrumada a um canto, intocada, observada ao longe e com deferência, frágil demais para gestos ou palavras?

    Eu cá gosto de viver, relacionar-me com as imperfeições, as minhas e as dos outros. São essas que nos tornam interessantes e merecedores de quem nos dedica tempo e estima.
    Tudo isto para dizer que gosto muito das tuas imperfeições ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A perfeição é de um aborrecimento de dar bocejos. A mim, bloqueia-me. Não consigo ver mais nada, para além dela. Pode ser uma pessoa cheia de conteúdo, que aquilo me cega.

      Obrigada, Sci :)

      Eliminar
  3. Picou-te uma vespa? Foste para Carcavelos, está visto.
    Claro que o teu blog é lindo, e tu és linda e os teus calos são lindos, e os pêlos e os pés e tudo e tudo.
    Eu sou miope, mas isso agora não interessa nada.
    Cá abracinho miúda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é que fui mesmo, e no dia da desgraça. Olha, mas a casca deve ser tão grossa que vim de lá sem um ai nem um ui.
      Tu também és linda, loira mais loira da blogobola.
      Toma-me lá em abraço, Uvy :)

      Eliminar
  4. LP, olá,
    Boa tarde. O dia está imperfeito, há Sol, mas há vento que estraga a ambiência; estou a trabalhar, e o dia era perfeito para descansar, e por aí adiante. Todas as imperfeições juntas é que nos dão graça. Até aos blogs. Só não transcrevo a frase de Miss Smile no que ao elogio diz respeito, porque isso era plágio, apesar de ser tudo verdade!
    Beijinho,
    Mia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Mia :)
      Boa tarde. É bem verdade, nem os dias são perfeitos. Há dias, mesmo de sol e mar, em que corre uma brisa, em que estão dois graus a mais, ou o mar está bravo. Mas isso, por si só, não estraga um dia. Não sendo perfeito, pode ser perfeito na mesma.
      Obrigada.
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Anónimo2/7/15

    Somos todos bonitos à nossa maneira, aliàs somos únicos devido às nossas características incluindo defeitos. São esses que nos fazem exclusivos. É a nossa beleza, cada um com a sua.
    Eu gosto do teu blog, caso contrário não estaria aqui sequer a escrever meia dúzia de palavras em forma de comentário.
    Seria uma chatice se todos fossemos iguais.

    Não gosto do José Cid, irrita-me um bocadinho, mas isso é outra conversa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imperfeitos, sim, mas, ao menos, com imperfeições diferentes umas das outras, para que, cheios de graça, não sejamos enjoativos.
      Obrigada.

      A mim também, e tudo o mais. Mas "Há homens melhores do que eu", é uma canção que canto há tantos anos, que já a desagarrei dele, e a agarrei a mim.

      Eliminar
  6. LP,
    O teu blog é especial !
    E mais nada !
    ..." existem trezentos milhões de blogs mais lidos "... mal sinceramente : o teu é diferente ,é muito bem feito ,é um blog muito original ... é especial !
    Parabéns, LP !
    Beijo,
    José

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. José,
      Sim, pois é: é meu, sou eu que faço, eu gosto dele. Não gosto muito da comparação com um filho, porque não o sinto assim. Mas é uma criação minha, e há dias em que me apetece trazê-lo ao colo :)
      Obrigada.
      Beijo

      Eliminar
  7. "... o meu corpo tem uma longa história para contar."

    Acredito que sim :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabes lá. Mal começa com aquela reza do "Era uma vez...", mando-o logo cagar à mata :P

      Eliminar
  8. Tb não sei se é o mais lido mas é definitivamente o que eu leio mais, por não ser perfeito. É o mais encostado à vida possível, com todas as arrelias, neuras, emoções, desairos duma alma sensível que joga entre o humor e uma capacidade intrínseca de escrever sobre a própria vida com uma proximidade e ao mesmo tempo, um afastamento profundo. Pronto fui confusa, mas acho que me entendeste, que também és de novelos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entendi, Sofia, perfeita e profundamente :)
      Que grande elogio, que descrição tão engrandecedora.
      É mesmo isso tudo, por uma razão muito simples: eu sou escassíssima em imaginação. Não consigo criar personagens, nem histórias, nem episódios com piada ou sentido "estético", que não sejam reais. E, por isso, nunca, por nunca (a não ser na participação de um desafio, para um capítulo de uma história — e, mesmo assim, não dei o mote, nem fiz o final) inventei o que quer que fosse, só para compor o blog. What you see is what you get.
      Obrigada :)

      Eliminar