20/07/2015

Foi tão blogger da minha parte # 3

Por acaso, tenho uma cestada de ferro para passar, que dá gosto só de olhar para ela, fora a que está na corda a rir-se para mim e que eu quero acreditar que ainda não está seca o suficiente para ter que me atirar a ela já-já, embora saiba que está tal e qual um carapau. Até deve estar tesa (chiu).
Mas é que comprei uns calções, e isso jamais pode passar despercebido à blogobola, nomeadamente porque até risco de vida já me fizeram correr hoje.

Eu sei, eu sei, o que estais a pensar. Também eu penso assim. Oh, minha senhora, tenha juízo, manque-se, vá fazer netinhos.
Olhem, mas está calor. A pessoa subestima o impacto que pode provocar nos corações alheios, ao verificarem e certificarem-se de todos os nossos defeitos até ao mais infinitésimo, que nem lupa, nem microscópio eram capazes de captar, mas os olhos da triagem social sim, que nos encontram o pelo esquecido, o pelo encravado, a borbulha do pelo desencravado, o derrame que parece um pelo, etecetera, fora o grão de celulite que não houve choque eléctrico, massagem, ginástica, ou reza forte que conseguisse arrancar. Então, imbuída de cagari e do espírito se-a-outra-pode-eu-também-posso — que é, precisamente, o ponto alto, onde se inicia o declínio da autoimagem e da percepção do que é que ainda podemos vestir e do que já é melhor não arriscar —, comprei-os.

Ia eu a passeio na segunda circular, que aquilo é de uma riqueza paisagística ímpar, quando, numa zona que está em obras há cerca de 365 mil dias, ora para colocação de uma ponte pedonal, ora para meter canos sei lá de quê, e porque os carros se veem obrigados a abrandar aí, cria-se-me a vicissitude de ficar lado a lado com um furgão. E, desde ali do ponto onde nos encontrávamos (Carnide) até ao final da subida (Benfica), vi-me na contingência de mudar de faixa várias vezes, sempre com ele na cola da minha traseira (chiu), com o intuito de se colocar ao meu lado, que eu já só pensava Raispartam os calçonetes, que ainda se me transformam na indumentária do sepulcro, à custa do entusiasmo provocado neste grande labrego.

Foi quando fui acometida do seguinte pensamento: No limite — que era onde eu estava — e por absurdo — que era o comportamento do senhor Furgão —, o que é que ocorre a uma pessoa que faz o que ele me fez, obrigando-me a acelerar e a mudar de faixa, para me livrar dele, tantas vezes em tão pouco espaço? 

Agora a sério: será que está habituado a que uma pessoa trave o carro, saia de lá de dentro, se dispa toda e se atire para cima dele? Para salvar a minha pele, ossos e tudo o que lhes está acoplado, ou, quem sabe, a minha vida, seria curial, numa estrada com três faixas, com o movimento que estava àquela hora, em plena subida em curva, parar o carro e fazê-lo fazer de mim uma mulher absolutamente (in)feliz? Ou isto são só manifestações do macho latino, que, se confrontados com alguma que lhes dê o merecido (?) troco, fogem que nem ratinhos assustados?

Eu quero perceber estes raciocínios, muito mais retorcidos do que os meus. Mais por uma questão de sobrevivência do que de interesse genuíno, que o que me interessa, verdadeiramente, saber, é se posso continuar a usar os meus calçõezinhos sem arriscar nem pele nem pelo. 



8 comentários:

  1. Olha, no que depender de mim estás à vontade...

    ...mas não respondo pelos outros por isso!

    Há, e não venhas já com aquela lógica feminina do "Contigo estou à vontade porquê? Não gostas dos calções? Ou do recheio? se calhar achas-te muita bom para mim, não?!" porque não tem nada a ver...

    Há e não venhas tirar a elacção da última afirmação que sim, que te acho um espectáculo com esses calções, e não sei o quê...

    ...mas também não penses o contrário...
    ...ou o contrário do contrário...

    Bem, não penses, pronto!

    (e agora vou sair de fininho que acho que já me enterrei o suficiente!)

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ... e a retorcida sou eu... :)

      (eu é que me ia enterrando com eles, aparentemente!)

      :)

      Eliminar
  2. Isso é muita perna para pouco calção!! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Compensa em cima, são de cintura subida, vêm quase até ao sovaco :)

      Eliminar
  3. Mas o homem ia a espreitar pra dentro do teu carro? Arre! Deixa lá os calções que são muito modestinhos. Ainda se andassem a mostrar o nalguedo... :p

    Beijocas, Lindinha. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, estava num plano mais elevado...
      Ai, Maria, isto de nalguedo de fora era mesmo o fim da macacada! :D

      Beijocas, querida :)

      Eliminar
  4. Olha, pois q são bem giros e ficam bem ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que descontra e que frescos que são :)

      Eliminar