09/02/2015

Hoje não é segunda-feira

Passado o terceiro fim-de-semana a trabalhar, sem pausas durante as semanas que os intermediaram, e com a perspectiva mais optimista de descansar no próximo sábado, pergunto-me como é que se organizam mentalmente as pessoas que trabalham por turnos. E as que só trabalham de noite. Os nossos ritmos biológicos estão formatados para arrancar à segunda-feira, abrandar à sexta (sexta, a partir das 5, devia ser proibido trabalhar), entrar em modo cinzento ao domingo (domingo, a partir das 5, nem devia existir), e respirar fundo à quarta-feira, aquela ilha, ainda longe de um e longe do outro (bem sabem os franceses, quarta à tarde é pausa).

Ser dona do meu nariz é muito bom. Não ter que dar contas a uma chefe azeda - que opta por recibos verdes, obviamente, isenção de horário, está claro, mas impõe um horário espartano, em que é necessário justificar todas as ausências e atrasos, ainda que o trabalho esteja feito - é muito bom. Posso ir ao médico, ao dentista, ao calista e à massagista, posso ir à ginástica, à plástica e à fantástica. Só que, isto assim, de seguida, provavelmente com uma pausa de muitos dias seguidos no final desta semana, causa-me um transtorno imenso, um cansaço acumulado, porque a casa não pára, as refeições sucedem-se a um ritmo alucinante (a sério que é preciso comermos tantas vezes por dia?), a roupa amontoa-se, está sempre tudo tão sujo, credo, um dia torno-me uma hoarding, buried alive e acabou-se. Como eu os entendo.

Bom, vou começar esta segunda-feira-não-segunda-feira. Sem gás.

Boa semana procês, vice?

16 comentários:

  1. Boa semaninha e aguenta firme que tu ainda és nova!
    Não faço ideia o que seja trabalhar por turnos, mas deve ser tremendamente duro e cansativo. Um bem haja para todos os que o fazem.
    Abraçossssssss.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada!
      Estou completamente a sentir que entrei na passadeira, sabes quando andas e não sais do mesmo sítio? Na quarta ou quinta já devo começar a andar para trás.
      Pobres daqueles que têm os ciclos todos trocados. Eu tenho-lhes uma admiração imensa.
      Hoje volta aqui ao meio-dia ;)
      Abracinho!

      Eliminar
  2. Trabalhei por turnos durante 16 anos, noites incluidas se dar muuuuito valor ao que é ter um fim de semana. Hoje em dia trabalho das 09h00 às 17h00...com algumas exceções que incluem fins de semana, mas só desde 2006 é que sei o que é ter Natal, Páscoa....e momentos em comum por inteiro com a famália:). É uma vida dura a de turnos, mas que tem compensações que a vida de 2ª a 6ª não nos dá...
    Ainda hoje não sei de qual das "vidas" gosto mais:)

    Boa não segunda para ti:) jinhosssssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És valente :)
      A vida de turnos é muito dura.
      Boa semana para ti também, Suri!
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Força nisso, LP, força nisso! (odeio domingos, btw, são, para mim, pior que as segundas)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que eu digo, metade do domingo podia ir fora :)

      Eliminar
  4. Ser dona do meu nariz é muito bom. Mas como em tudo na vida, tem vantagens e desvantagens...
    Não deve faltar muito para te fazer companhia ao fim de semana.

    Boa semana para nós!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, gosto tanto do meu nariz, mas custa-me mantê-lo...
      Boa semana, Agridoce!

      Eliminar
  5. Um gajo chega aqui convencido que é segunda-feira e depara-se com um 'fado chorado', que não sei quê, muitas refeições, bla bla bla ... e isso.
    Trabalhei por turnos vários anos e nunca senti aquela sensação de absorção 'caté mete nojo'. Antes pelo contrário, nem dava pelas horas passarem. Deixei de usar relógio. As refeições eram tomadas, comigo normalmente sentado, como antes ... e depois.
    Não penses nos 'hoarding, buried alive' que são uma treta. E se pensares, começas a abanar o capacete de cada vez que o sino da aldeia tocar.
    Deixa-te de pieguices e sabes que mais? Vai 'mazé' trabalhar pá :-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só me saem brutos na caixa :P
      Olha, mas chegavas-te ao fogão? Estendias roupa? Sequer tinhas que destinar a próxima refeição, ou ias comprar os ingredientes para a elaborar (apesar dos turnos)? Limpavas casas-de-banho? Fazias camas?
      Então cala-te :P

      Eliminar
    2. A última pessoa que me mandou calar, está no cemitério. Vende flores :-)

      Eliminar
    3. Ao menos tem um emprego agradável! :D
      Olha o que me fez lembrar essa do cemitério :)
      Uns acabaram de maca e outros ainda mais deitados, o coveiro que o diga...

      Eliminar
    4. Emprego agradável? Não estou convencido.
      Uma canção em que Sérgio Godinho fala de uma Rita ... vou pensar no teu caso.
      'Outros ainda mais deitados'. Costumava dizer, brincando, mal enterrados, mas com a cremação (coisas com creme) tive que arranjar outra versão. Guess what ;-)

      Eliminar
    5. Está todo o dia em contacto com flores... para quem gosta e não é alérgico, não tem um mau trabalho.
      Eu não sou Rita :)
      Só me lembraste essa música quando disseste que a última que te mandou calar estava no cemitério :)
      Veio-me logo à cabeça Uns acabaram de maca e outros ainda mais deitados, o coveiro que o diga...
      Mal cremados? Mal passados? Mal tostados? :D

      Eliminar
  6. Eu trabalho por turnos e olha que na realidade é uma grande seca. Nunca sei a quantas ando, não gozo nada da vida, às vezes só me apetece meter uma granada no meu local de trabalho xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Digo-te que te admiro profundamente. Eu trabalho dias, semanas, seguidas, sem fins-de-semana, e depois estou dias e semanas sem trabalhar. Isso dá-me cabo do ritmo biológico, até o sono me altera. Nem quero imaginar o que é varar noites, as horas das refeições todas alteradas, etc. E toda a gente ao nosso cumprir um horário normal. Que confusão.
      Mete lá a granada, mas pira-te :D

      Eliminar