25/04/2016

Hoje dei-lhes mais liberdade

Quiseram mar. Sei, porque me sei, que o querem assim. Mas nunca tinham ido tão longe, tão sós, tão sem mim. Engoli o medo, apaguei filmes vários, todos de terror, da cabeça, pedi clemência, mil cuidados, e entreguei tudo: as chaves do carro, parte da minh'alma, e as minhas três flores à divina providência (ou sei lá a quê, que não confio em nada que seja suficientemente capaz de mas proteger capazmente).
- Cuidado na estrada, cuidado com o mar, cuidado com o sol, cuidado com os tarados. 
Acho que nenhuma me ouviu. Ou, pelo menos, não ouviu os mil que enunciei.
- E, no regresso, cuidado na estrada outra vez.

Cuidado com o meu coração.

7 comentários:

  1. não se aguenta. entregar as chaves do carro equivale a marchar para a guilhotina, mesmo que seja só para ouvir o fio da lâmina. dá um arrepio.
    mas correu tudo bem? não correu?
    beijinhos, Linda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Excelente metáfora, Mia. É isso mesmo.
      Correu tudo lindamente. Vieram com outra cor, e felizes. Mas terão que reconhecer que foi devido aos meus mil conselhos.
      Beijinhos :)

      Eliminar
  2. Ser não cuidares do teu coração não consegues cuidar de ninguém.
    Ooppss, acho que esta frase vai ficar célebre :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No meu coração moram elas, cuido dele enquanto cuido delas :)
      (Mais célebre ficará a minha :))

      Eliminar
    2. Ambas as frases merecem os projectores da fama :)

      Eliminar
    3. Vamos mas é levar isto a um júri :)

      Eliminar
    4. Não é preciso, nós determinamos por unanimidade ;)

      Eliminar