11/04/2016

Digam-me vocês, que eu ainda não sou capaz de me dizer

Já escrevi este post uma vez, mas apaguei-o, da raiva que ainda me assola o animus e o corpus.
Imaginem que trabalham num sítio. Um sítio qualquer serve, pode ser uma loja de chinês, uma fábrica de cabides, uma mina de enxofre, um atelier de costureira, le trottoir des filles. E que há turnos, os quais toda a gente que lá labora cumpre. Uma vez por outra, calha um turno ao sábado. Ora, os sábados têm sol, para que os domingos possam ter futebol, pelo que são calmos. Fora a pessoa que faz o turno, não aparece mais ninguém no local. Um belo sábado, calha-vos a vocês fazê-lo, e lá ides. 
Qual não é o vosso espanto, quando vos entra, porta dentro, O Colega. O Velho Colega. Abreviando, OV, a partir de agora. 
Sabem o colega dado à intimidade e à abordagem? O colega that always answers to a question that you never asked? Esse.
Entra OV, com a desculpa que tem ali uma reunião — a um sábado, mas tudo bem —, passa talvez meia-hora e, de facto, aparecem mais dois personagens que, ao que parece, reúnem com OV. Pensas tu que, no final do encontro, saem fregueses e sai OV? Só a primeira. Fica OV. E diz-te,
Estamos os dois sozinhos.
É então quando começas a olhar em volta, à procura de objectos lacerantes, perfurantes, cortantes, contundentes, perfurocortantes, ou cortocontundentes. Só naquela. 
Vai OV, indiferente à tua indiferença, e mete-se para a sala de trabalhos, onde se aquieta qual morto, e isso é bom, mas não te deixa sossegada. Não existe razão para que OV continue no local, e só essa ameaça constitui uma ameaça. 
Faltam dez minutos para acabar o teu longo turno, e OV ainda não se foi embora, mas és tu quem tem que fechar as portas do local, apagar as luzes, ligar o alarme (não por esta ordem), pelo que vais ver dele, com a secreta esperança que ele já seja falecido e só tenhas que fechar tudo, e na segunda-feira o primeiro a entrar tenha lá o brinde. 
(Muáháháhá. Espera por mim, Hades. Hádes esperar.)
Vais dar com ele encostado a uma parede, com os olhos raiados colados no monitor do seu pczinho. Devia estar a ler receitas de culinária, ou a decorar novas orações. Avisa-lo de que tem que se ir embora, ao que ele responde,
Julgava que passávamos aqui o fim de semana os dois.
Vomitas-te toda, com sólidos e líquidos azedos e verdes, desde a raiz do cabelo até às unhas dos pés, deixando legumes moles a escorrer das pestanas. Isto tudo, mentalmente, claro, enquanto equacionas que a melhor imagem mental erótica que consegues fazer com OV é que aquela pança gravídea dá um belo trampolim para saltar porta fora. 
E OV sai, exactamente um minuto antes de o teu turno terminar. 


14 comentários:

  1. Respostas
    1. Apetece-me fazer uma coisa muito moderna, e reportar às chefias.

      Eliminar
    2. Podes fazer mas vais perder o teu tempo e ganhar um inimigo. Porque ele tem a defesa de que teve reunião e ficou a trabalhar. O que devias era tentar gravar uma dessas frases dele de "estarem sozinhos" e afins. Aí já terias qualquer coisa.

      Eliminar
    3. Pois, de outra maneira, será sempre a minha palavra contra a dele. E depois, a minha "impressão" contra "uma brincadeira" dele.
      De todo o modo, com inimigos destes, não preciso de amigos...

      Eliminar
  2. Ainda te sai uma choruda indemnização ó ó...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai, de onde? É que ando mesmo precisada, ó ó!

      Eliminar
  3. Andas com mau feitio, LP, o OV não serve mesmo para nada? :))))
    Boa semana, refilona.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não puseste mesmo a hipótese de eu não querer aturar aquele tipo de abordagem, não?
      Boa semana.
      Beijinho

      Eliminar
    2. Não, confesso que não considerei essa hipótese.

      Eliminar
    3. Provavelmente, porque mais facilmente te puseste no papel dele do que no meu.

      Eliminar
  4. Está apaixonado. Pudera, és linda!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha quem fala, a loira gira!
      Olha, aquilo é capaz de ser mais o género de atirar a todos os pardais. Há sempre um que cai...

      Eliminar
  5. "Vomitas-te toda, com sólidos e líquidos azedos e verdes, desde a raiz do cabelo até às unhas dos pés, deixando legumes moles a escorrer das pestanas." - Consegui imaginar isto e foi lindo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda vou abraçar uma carreira no cinema! :D

      Eliminar