15/06/2016

O silêncio é de ouro

É sempre na copa que se me acometem estes ataques. Tenho que repensar a mania do chá.
Passa por ali ele e diz que vai de táxi. Eu sorrio, acho que de nervos.
- Do que é que te estás a rir, é de eu ter dito que ia de táxi?
- Sim.
- Antes Uber?
- Sim. Os taxistas nem uma passadeira de peões respeitam. A mim, nem me veem.
- A mim, dão-me sempre passagem. — Diz ele, e eu, por mais uma vez, pondero a minha invisibilidade.
Então ela, que assistiu calada a este pequeno diálogo, arruma-me KO com a sua opinião:
- É da áurea.
Dá-se, então, o momento em que a minha jukebox cerebral dispara isto:


9 comentários:

  1. Anónimo15/6/16

    a sério???? santa ignorância; e não te apeteceu "amandar-lhe" logo com uma chávena à cabeça ? ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apeteceu. Apetece-me todos os dias. De cada vez que ela abre a boca. Cada tiro... :)

      Eliminar

  2. Entrelinhas ...
    Não percebi o filme ..." Eu sorrio, acho que de nervos. " ???
    E o desenho ?
    Alta competição ! Mesmo !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por se tratar de um ambiente em que nada tem piada, e por ter percebido que aquela pessoa, em concreto, disse aquilo do táxi para me provocar uma reacção qualquer, porque o fez a olhar para mim...
      Qual desenho?

      Eliminar
  3. Agora sim !
    Linda sofre !
    Não ligues , fazer "o desenho " foi uma graçola aqui da "geral". Pede-se para fazer o desenho , quando não se está a entender .
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda pensei que pudesse ser isso, mas depois voltei a perder-me nas minhas próprias dúvidas :)

      Eliminar
  4. Respirar fundo e contar até dez :)
    Beijos LB

    ResponderEliminar
  5. Respirar fundo e contar até dez :)
    Beijos LB

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem apneia :)
      Reaparece, linda.
      Beijos

      Eliminar