13/06/2016

Aos anos que não fazia isto

Se não foi há anos, foi há meses, muitos: estar um dia inteiro sem vir aqui dar uma beijoca, arear umas pratas, cortar uns calos. 
Verifiquei com agrado cínico que metade da blogosfera foi banhar-se de azul, enquanto eu fiquei, verde, a trabalhar que nem um ser sem alma. Deixem estar, que o vosso já está guardado, e o meu também.
Mas, como a vida não são só rosários, e é pontilhada de rosas também, comecei logo o dia a dançar (esta frase tanto se aplica a ontem como a hoje). No final, a professora quis saber a minha idade e caiu-lhe o queixo quando lhe disse nothing but the truth: dava-me, diz ela, menos, no máximo, onze do que os que tenho. Já enganei mais uma, e foi com a verdade, como diz o ditado. Ela é linda, e tem os olhos azuis. Hoje chamou-me para o palco, tal como fizera Miguel outro dia, com a diferença que não me chamou Marisa. Qualquer dia, vou mesmo, e depois quero ver quem é que cai primeiro lá de cima.
O meu olho continua em sangue, mas melhorou: agora, está vermelho por inteiro, de maneira que quase não se vê a menina. Está a ser bom viver assim, porque ninguém me contraria. Posso chegar ao balcão de um café e pedir uma bica cor-de-rosa, ou algo ainda mais escabroso, que o povo se desfaz para me fazer a vontadinha. Constatei isso na Feira do Livro, onde fui outra vez na sexta-feira, e aonde não houve livreiro que não desarmasse a barraca para me atender em condições. Devo ter ar de quem lhe vai rebentar o globo em 4-3-2-1 segundos, ou então saltar-lho da órbita, a jacto, para a cara do interlocutor. Seja como for, está a ser positivo.
Deve ter sido por isso que a miúda me tirou onze anos à idade. 
Da Feira, trouxe o que planeava da outra vez em que lá havia estado:


Hoje é que era de lá ir, parece que vai chover.

(Veem por que é que não vim cá ontem? Não tenho nada para contar. E também não venho dizer que fiz uma aula de dança com a etiqueta de papel ainda presa à saia, não acham? Quando percebi isso, fiz uma pequena prece para que tivesse estado sempre do lado de dentro. Mas não sei se os deuses sequer me ouvem, ou se não serão sistematicamente vencidos pelas bruxas.)

4 comentários:

  1. Não percebo como uma Linda Blue, ainda que disfarçada de Porca, pode ficar verde, mesmo a trabalhar que nem um ser sem alma.

    Ela é linda e tem olhos azuis? Importas-te de me apresentar a beldade? Ou dizer-me onde a posso encontrar? Não? Não podes/queres? :(

    Meteorologia: hoje não chove. Talvez amanhã à tarde mas coisa pouca.

    'Regresso dos mortos de sono'? Seria, digo eu, mais apelativo se fosse um 'regresso dos mortos com sono'.

    Boas leituras, boa semana, beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apresento, pois!
      Se ela tem idade para ser minha filha, dará uma netinha tua que é um miminho :P

      Obrigada, Observador.
      Boa semana.
      Beijinhos :)

      Eliminar
  2. :) também estou verde hoje, vim fazer a minha pausa aqui ao teu canto. E olha, já me ri!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que cena esta, Be. O meu fim de semana começou agora. Acaba daqui a bocadinho...
      Precisamos de rir!

      Eliminar