18/11/2015

Trago uma mão cheia de nada

Um dia que se queria diferente, diversificado, agitado, fora da caixa, longe da bolha. E volto com esta sensação de uma mão cheia de nada. As duas mãos, cheias de ar — é abri-las e encontro promessas e expectativas de sucesso, é fechá-las e dói-me o peso de tudo o que lá não consigo guardar. 
~
Hoje vi um homem adulto de olhos molhados pela morte do seu cão. 
Já tinha ouvido falar de um cão que morreu de enfarte, no momento em que reviu a dona, ao fim de um tempo que lhe foi demasiado — um coração de cão que faliu de saudades humanas.
Não me diga nada, acredita que eu chorei como uma criança?
E os olhos a encherem-se daquela água da mágoa adulta — uns olhos de homem a falirem de saudades caninas.
E eu com uma mão cheia de nada para lhe dar.
~
Faz anos um rapazinho que me caiu nas graças, eram eles duas crianças, e adormeciam de caras vermelhas e cabeças encostadas quando vinham da praia. Ela depois gostou mais de outro, passaram três ou quatro anos, mas todos os anos lhe mando beijinhos neste dia. Hoje são vinte anos, e eu tenho só isto, que é nada: uma mão cheia disso, para lhe dar.
~
Não consegui ter tempo para ir ver a minha mãe, e isso faz-me esvaziar-me inteira, como se a minha sobrevivência ainda dependesse da existência dela, como se eu não soubesse que será sempre assim. 
Faltou-me levar-lhe o nada que sempre lhe levo, as mãos muito cheias (sob a forma de chocolates pequeninos, vernizes bonitos, revistas de informação) de beijinhos e laços e dos nossos silêncios que, ao contrário dos silêncios das outras pessoas, não têm mil significados — têm só um, que é: amor.



6 comentários:

  1. É uma tentação muito grande completar esse "mão cheia de nada" com " e outra de coisa nenhuma". Mas, essas mãos, aparentemente vazias, estão repletas de ternura e amor. E é isso tudo que transportas, quer elas estejam fechadas, ou abertas.
    Beijinhos, Linda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas chega a acontecer-me, como hoje, esta sensação de impotência, de nada poder fazer, de não ter nada para dar.
      Obrigada, minha querida.
      Beijinhos grandes

      Eliminar
  2. Quem sente uma mão cheia de nada assim, só pode ter uma mão cheia de tudo...Tal como estas palavras, tão imensas de afeto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A ver se consigo agarrar alguma dessa coisa, para que não me falhe nos momentos em que quero dar e parece que não há nada.
      Obrigada, MariaXL

      Eliminar
  3. Hoje nem pareces a Linda !
    Dias / momentos difíceis !
    Em frente !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei dosear o entusiasmo das minhas expectativas, e, às vezes, apanho umas desilusões.
      Mas passa-me logo :)

      Eliminar