12/11/2015

Apercebo-me da existência de um padrão...

Só soube hoje. Por isso, para mim, a notícia está actualíssima: o Vaticano fez um calendário com os padres mais bonitos (desconheço o termo de comparação achado e quais os critérios adoptados para a selecção, mas deve ser aquela cena da beleza consensual, ou com-sensual, que a pessoa não sabe). Já foi em 2012, mas o que é que isso interessa? Os rapazes não hão-de ter amadurecido assim tanto em três anos. E devem continuar a vestir as saias lá em casa. 


São giros, chiu. Eu gosto mais dos mais despenteados, mas isso sou eu, que também tenho uma alergia ao pente. Portanto, Setembro e Dezembro. O de Junho é giro, mas lembra-me demasiado o actor Robert Sean Leonard (parece que não, mas eu sou um poço de cultura, oh captain, my captain, oh House, my Doc.)

Isto lembrou-me aqueles malucos de Setúbal, que, mudando o que há a mudar, são pessoas do mesmo género. De resto, ambos os calendários têm a intenção benemérita de heteroajuda, ou muito me engano. Tipo aquilo dos escuteiros e dos escoteiros (que eu nunca sei a quais é que estou a comprar o calendário).


Estava, plácida e muito santa, nestes pensamentos, observando o calendário dos padres, lembrando-me do dos bombeiros, quando disse assim para com o meu fecho éclair: 
Hummm, vejo ali um padrão...
Fiz uma pausa, não cofiei o meu bigode porque não o encontrei, não fumei um pensativo cigarro porque já deixei há muitos anos (de pensar também), não ajeitei o monóculo porque um é pouco, e, retomando a minha própria linha de pensamento, discorri:
... e nenhum bombeirão...


10 comentários:

  1. Eu cá, diria que os fogos mais difíceis de apagar são os de Julho e Agosto... e no Natal seria um sacrilégio não fazer uma visita ao confessionário ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostos não se discutem, e ainda bem que somos todas diferentes :)
      Quanto ao natalício, é mesmo caso para dizer que deixaram o melhor para o fim, e que os últimos são os primeiros!

      Eliminar
  2. Estou contigo Linda, logo eu pessoa sem fé, nem acredito que vou dizer isto mas escolhia as mesmas missas que tu e ficar-me-ia pela água benta que a que corre naquelas mangueiras deve ter cor e gosto e a água quer-se incolor e insípida, quer-se pura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ámen, Be. Não andaríamos à luta por eles, já que são dois. Fazia-se um-dó-li-tá, justíssimo.

      Eliminar
  3. Diz o ditado "ande o frio por onde andar, no Natal há de chegar"; posto isto, parece-me que seria um mês de muito aconchego e conforto moral.
    No que toca aos outros meses, aquele chapéu de outubro, valha-me Deus, até ao Fernandel ficava melhor.
    Beijinhos ,
    Mia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está visto que o último é o consensual, riquezas da sua avó.
      O de Outubro até pode ser giro, mas, de facto, tem um gosto para a moda que valha-o Deus, já que mais ninguém lhe pode valer.
      Beijinhos, Mia

      Eliminar
  4. Ali o Junho o Setembro e o Dezembro, do primeiro, são (não é pecado, pois n??!!l) Bem giraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora bem, coincidimos nas escolhas, Me.
      Pecado? Pecado é terem seguido a devoção...

      Eliminar
    2. Ahahahahahah bem visto!

      Eliminar