16/11/2015

Diálogos à sombra # 12

Quando nos reproduzimos, esquecemo-nos de que estamos, precisamente, a produzir-nos de novo. 
Ela e eu na loja da Disney. 
Entramos num transe comum. Eu peço-lhe:
- Ai, mulher, tu tira-me deste inferno.
- Porquê? — Ela tem uns olhos tão bonitos. São enormes, escuros de ébano, guardam o mundo, e aquele é um mundo tão bom, tão cheio, tão dela e, mesmo assim, tão meu.
- Porque eu quero levar tudo!

Já vimos a loja toda, de fio a pavio, já mexemos nos bonecos todos, eu já tentei arranjar a desculpa de que vou comprar uma prenda para uma menina que faz quinze anos e ela já me demoveu — Aqui não há nada de nada que uma rapariga de quinze anos goste — e vamos a sair. Eu digo-lhe:
- Ainda bem que já não sou uma criança.
- Porquê? 
- Porque queria levar tudo!

E giro-giro era que o meu cérebro não fosse sistematicamente inquinado por uma maldita jukebox pimbo-mental, que me põe a cantar, sem pré-aviso, Mister gay, já não sou uma criança...

2 comentários:

  1. Olha,...

    ...O Alex é um gajo fixe!

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me perguntes porquê, porque também não sei, mas esta música fica-me no ouvido.

      :)

      Eliminar