11/02/2017

Eu tenho problemas com doidos # 13

Estava eu muito bem no posto de abastecimento, ainda a viver partes do filme de David Lynch que constitui esta minha existência, à espera que a segunda chave viesse abrir Rosinha, tão trancada que mais parecia ter sete chaves e não apenas duas, sem ter nada para fazer a não ser contemplar a bela paisagem e esperar (o cosmos é muito engraçado, até parece que não esperei já 36 meses da minha vida, fora mais uns quantos que não contam), e vejo um cão. Um cão belíssimo, todo assim em bege, grande e magro, com um pêlo a parecer o de um casaco de pêlo de camelo. Estava agarrado pela trela a um poste, enquanto esperava pelo dono. Nisto, passa ela por mim, toda risonha, olhos em linha, óculos da cor do cinzento do cabelo e desata a travar um diálogo:
- Ai, que linda, ali tão quietinha à espera do dono.
- É um cão. 
- Pois, mas parece não estar nada satisfeita de ali estar.
- Tem o rabo entre as pernas, pode estar com medo da porta, que se abre cada vez que ele se mexe. 
- Ou então não, coitadinha.
- É um cão. Olhe que, visto daqui, não dá grande margem para dúvidas. 
Ela deu uma gargalhadinha redonda e disse assim:
- Ou então, tem lá os problemas dela...
- É um macho. É um cão. Daqui de onde estou posicionada, consigo vislumbrar perfeitamente o sexo do animal. 
- ... que ela também há-de ter lá os seus problemas, isso a gente nunca sabe...


[Genitais.]

2 comentários:

  1. Linda só gabo essa pachorra.Acho engraçado dares tanto " troco ".Eu sou mais "mula " !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estava ali sem ter nada para fazer...

      Eliminar