26/03/2017

A hora mudou e eu

perdi a coragem para escrever. Perdi a vontade, morreu-me qualquer coisa na ponta dos dedos, algo no entusiasmo, tudo na alegria. Foi uma morte súbita, daquelas do coração, imprevista, chocante, um dia está tudo bem, no dia seguinte morreu de morte morrida. Impede-me de me impelir às palavras, desliga-me o ímpeto, esvai-me os assuntos. 
(Até tinha alguns, o do homem de Barcelos que matou 4+1, diz que este 1 é aborto, eu acho que não, mesmo não sendo fundamentalista pro-vida. Então aborto não é a interrupção voluntária de uma gravidez? Onde é que está ali a voluntariedade? Haveria muito a dizer sobre aquele caso, mas também deixou de me apetecer. Não percebo por que é que o pasquim de serviço ao sangue chama ao homem o Monstro de Barcelos, assim mesmo, com maiúsculas no substantivo que devia ser adjectivo. Pode ser alguma associação de ideias com o filme do momento. Bem triste, já agora. Não há Bela naquela história. Só senãos, nenhuma feição.)
(As gatas continuam a dar-se mal uma com a outra; cada vez que se juntam, há briga de gatos cá no lar; a Mia tem oito anos, a Molly tem um, uma não se dá ao respeito, a outra é tonta dos chifres e não sabe o que isso é.)
(O meu computador está farto de chuva. Está de greve de produtividade, trabalha ao ralenti.)
(Diz que Março é Inverno só de manhã. Só me apetece chorar.)
(E que Abril, águas... ai, por favor.)
(Hoje fiz uma aula de dança em que éramos só duas, com a titcha três, mas ela não conta. A outra era uma senhora de idade chamada Narcisa, mas sem vaidade nenhuma. Avisou logo que não sabia dançar, e era mesmo verdade. Tinha pestanas postiças e um eyeliner carregadíssimo, e mais nenhuma maquilhagem. Eu, de maquilhagem completa, saia de dança, a sala toda só para mim — e para ela, vá —, rodopiei como um nenúfar ao vento, feita parva. Ou um narciso, enfim. A meio da aula ocorreu-me que a Narcisa e eu fazíamos um pandã perfeito para uma aula da terceira idade. Mais valia irmos para a hidroginástica. Ou para o Pilates, que lá é que se gemem as dores das costas e dos joelhos e de sei lá mais de onde raio é que pode haver dores daquelas.)
(Eu desisti do Pilates há muitos meses. Toda a gente menos eu tinha uma espondi, uma artri, uma mazela qualquer, e isso fazia-me sentir expulsa da caixa.)
Como agora. 
Tantos assuntos da treta, tanta falta de ânimo para os transformar em coisas saborosas. (Eu sei que consigo, modéstia à parte. Narcisismos de lado.)
Parava de chover, e eu talvez ressuscitasse. 

12 comentários:

  1. boa noite, Linda. tu consegues. vai pensar bem no assunto que isso de morrer assim,de morte matada e súbita, não me calha, e não te assenta bem.
    esperançosa fico eu...não está tudo perdido, se tivermos em conta a chuva e se for esse um dos óbices...aguardemos.
    Beijinhos, Linda.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, Mia
      Acho que a chuva não me lava a alma, pelo contrário.
      Obrigada.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Blue, Linda Blue, bota-me lá um sorriso nessa cara e manda-me lá um abraço aqui á moça, fazfavor!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha flor, minha madrinha amada, pega lá todos os meus braços para esse abraço xxl!

      Eliminar
  3. Anónimo26/3/17

    Ui, alguém está depressiva com a chuva... vamos lá a arrebitar! Na primeira semana de Abril as temperaturas vão atingir 26º, 27º graus! :)
    AL
    Eu gosto e chuva e frio... :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Praia, praia, praia!
      (Go, go, go!)
      (Torno-me um huno, diante da perspectiva)
      :D

      Eliminar
  4. Tem toda a razão - já parava de chover.

    Boa noite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A chuva farta-me logo às primeiras gotas. Sou demasiado impaciente, ou ela demasiado persistente...

      Boa noite, noname

      Eliminar
  5. Estás com a doença do blogger. (O equivalente à doença do escritor. Falam muito dela aqui: A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert de Joël Dicker.)
    Diz que isso passa. É tipo uma virose. Quando deres por ela estás curada. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas isso é tão blogger da minha parte! Começo a sentir-me uma blogger a sério, sendo assim! :)
      Desde que não tenha que tomar nenhuma droga, sento-me e espero, que remédio (santo).
      (Não podes ser boa. Acabei de vir do teu. Embatuquei lá com os perfeitos, mas volto mais tarde. Vá que não falaste dos primos. E eu que gosto tanto de númbaros.)
      :)

      Eliminar
  6. E saí eu da minha terra quente para apanhar litradas. D' água.
    Kis :=}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém merece... :)
      Beijinho

      Eliminar