08/08/2016

Fuck logic

Isto foi há dias. O cenário é a ala da pediatria de um hospital público. Os adereços são um tabuleiro de almoço, no qual se inclui uma laranja. Com casca.
(Ora, não é preciso já cá andar na Terra há muitos anos para se saber que o único mês em que a laranja verdadeiramente não presta, é precisamente o mês de Agosto. Mas não é isso que aqui me traz.)
As personagens são a auxiliar de enfermagem (que acho que agora tem um nome pomposo, tipo técnica superior de primeira classe ao nível dos cuidados médicos), e a pessoa humana, vestindo a pele de "acompanhante", mais conhecida por "ó mãe".
Derivado a ter-me parecido que não ia ser possível à criança internada roer a laranja na falésia, como no Porto Covo, assim com casca e tudo, dirigi-me à dita técnica e, com o meu melhor modo — que, naquelas circunstâncias, é o equivalente ao de uma varina agrilhoada —, questionei:
- Como é que a empresa de catering sugere que as crianças comam uma laranja com casca, quando  a envia para a pediatria?
- Isso é para a mãe descascar.
- Ah. Muito bem. E com que faca, eles sugerem?
- Está lá uma faca...
- Para o peixe. 
- Tem que usar a mesma.
- Ou então, lavá-la no lavatório. Sou capaz de pedir que me mandem detergente e um esfregão. Já agora, quando descascar a laranja, onde é que a ponho?
- Como assim? Dá-a à menina...
- Não tenho prato para a pôr. Não posso dar-lha inteira. Fico com ela na mão, a pingar?
(Por acaso, estava tão seca que nem um burro aproveitava aquilo para palha.)
Hão-de ter julgado que eu me julgava a mim num hotel de cinco estrelas. Mas sim, tendo em conta que aquela hóspede é (d)a(s) (quatro) pessoa(s) mais importante(s) que eu conheço, exijo para ela(s) tratamento VIP. E não contesta, não questiona, come e cala.

8 comentários:

  1. também assisti a pormenores desses, há precisamente um ano. todo o serviço médico era de excelcelência, já a o serviço de gastronomia com entrega personalizada, meu Jesus, Nossa Senhora. Talheres? só os que iam na contagem básica...de resto, aquele líquido de desinfecção das mãos? gastei até não haver amanhã. por tudo, e por nada. os talheres também levaram tratamento idêntico.
    Boas melhoras.
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fazem a escolha das empresas, aquando do concurso público, pelo critério (mais baixo) custo, e depois o resultado é este...
      Eu saí de lá com as unhas moles, de tanto me lavar (até aos cotovelos) com esse líquido.
      Obrigada, Mia.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Enfim... "pormenores" importantes mas que não são alvo de muita atenção, não é verdade?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém liga nenhuma. O português improvisa: a faca, lavei-a no lavatório do quarto, descasquei a bendita laranja que, no fim, estava podre. Pedi que me trocassem por uma maçã, e veio... outra laranja.

      Eliminar
    2. Opá, isso já é demais :/

      Eliminar
    3. Segundo explicação da senhora do catering, era "dia de laranja".
      Olha, já nem a descasquei...

      Eliminar
  3. O que vale é que as "Ó mãe" sabem desenrascar-se...
    E a pequena, está fina? E esse coração, sossegado?
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De outra maneira, o Mundo perder-se-ia ("A mão que embala o berço é a mão que governa o Mundo")...
      Quase a 100%. Mais sossegado, mas nunca tranquilo...
      Beijos, Be. Obrigada.

      Eliminar