29/03/2015

Deixe-me encostar no seu Kupi


Ontem deu o segundo episódio do programa Shark Tank português, o primeiro que eu vi.
A última apresentação coube a uma senhora do Estoril, Vera Mayer, do me-lho-ri-o que se possa - caturreira - imaginar. Qualquer pessoa que, alguma vez (esta é para ti, ó Gajo), me tenha dirigido o epíteto de tia de Cascais, sem ter posto os olhos nesta figura, ficaria esmagado pela avassaladora diferença que nos separa, pois Vera é uma mestra, não só na arte de encarnar o papel de titi da Linha, como também de vender a banha da cobra (sem sequer chegar a vendê-la), pois que acredita piamente no seu negócio. Não quero imaginar o fervor religioso de uma pessoa assim. 

Toda a explanação, desde a técnica da fitinha, à confissão de que Ainda não estou a vender e Distribuí algumas unidades com amigos, família, conhecidos, amigos de conhecidos (wtf?), para acabar por confessar que "algumas unidades" foram 1200 (wtf? 2) - o que, infelizmente, não se vê nos vídeos do site da SIC -, fazem dela, senão one business woman, pelo menos one woman show. E depois, ingénua ou ardilosamente, explica que gastou 20.000 (wtf? 3) euros na concepção do produto, profere frases como Gastei muito tempo e tive que pensar muito, responde à pergunta E tem sistema anti-chamas?, com um simples Se os queimarem, blagh... (wtf? 4), para, no final, lhe oferecerem 100.000 euros por 100 % do negócio, que não vale a ponta de um genital, e ela dizer que... Não (wtf? 5), o negócio é meu.

E termina com Este produto está em explosão.

Bum.

WTF?, elevado à sexta.

Se não viram, não percam o visionamento da apresentação. Vale muito a pena, quanto mais não seja para tentarmos perceber como é que o programa se vai encher de gente estranha, que vai lá, básica e estrategicamente, vender, com 100 % de lucro, um negócio completamente ficcionado. Ou muito me engano - o que, como ao outro acontecia, raramente me acontece. E nunca tenho dúvidas, também.

13 comentários:

  1. A senhora deve ter sido muito "crida" pois acabei de abrir "o sapo" e eis que lá estava ela muito exposta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não tenho dúvidas nenhumas de que esta pessoa já é um caso nacional, um verdadeiro turn around no programa!

      Eliminar
  2. Olhando para o vídeo parece-me que seria de mérito mudarem o nome do programa para tanque das pata-roxas, peixe que pertence, segundo informação do Oceanário, ao grupo dos tubarões, raias e quimeras (apropriado, portanto). Dá muito sabor às caldeiradas. De resto, que se saiba, não tem mais préstimo nenhum. O que julgo, que também acontece com o dito tanque.

    Boa tarde, LP.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para o quanto eu gosto de caldeiradas (do prato, mesmo :)), fico a desejar longa vida às pata-roxas, nem que elas venham do Estoril a vender encostos de praia ou frigoríficos a esquimós. O tanque é, efectivamente, uma poça que, como toda a poça, só serve para meter lá dentro a pata.
      Tomei nota da referência à "quimera" :)

      Boa tarde, Xilre.

      Eliminar
  3. Hahahahahahaha. Tu és má!
    Fantastico Kupi. Vou já comprar. Ai não, afinal lembrei-me que essa treta já existe com outro nome há cerca de 300 anos. A cadeira pequena de praia que já tenho e faz o mesmo efeito (ora bolas) e também aquela porcaria do Origami que custa uma nadinha mais caro e que o ano passado explodiu de cor toda a costa Vicentina, só que não.
    De resto também tenho a areia, se quiser encostar-me. Faço uma montanha e pronto, poupei 13 euros e é menos essa tralha para carregar.
    As pessoas muito afetadas na fala, também são muito afetadas da cabeça. Just saying...
    Por mim era mandá-la ao tanque, mas acho que ela já se mandou sozinha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hahahaha, e eu é que sou má! :D
      Agora fizeste-me lembrar um concurso que houve há uns anos, que era o Ai os homens. Ali é que acabava tudo no charco. Era como devia ser este Shark Tank - cada um que não fizesse negócio, quer fosse por iniciativa do júri, quer fosse pela sua própria, ia direitinho ao tanque e não havia cá mais mas-mas.

      Eliminar
  4. Ahahahahahahahah, ó LP, eu desmanchei-me a rir quando vi isto ontem. "Posso adiantar que este produto está em explosão". Eu aí explodi :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela é maravilhosa, é um boneco imperdível! :D
      E é tão cómica que acredito que seria muito difícil fazer um sketch com piada sobre isto, porque o sketch está feito!

      Eliminar
  5. A questão do "produto estar em explosão" é porque mesmo que ela tivesse aceite a proposta dos 100%, quando eles fossem fazer o "due diligence" desse negócio, iam recuar imediatamente e faziam aquilo explodir :P

    E é só isto que te apraz falar sobre o episódio 2? Vou ser obrigado a complementar isto com um post próprio não é? :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou uma bronca. Pensei que ela falava metaforicamente. Vejo metáforas em todo o lado. Sou uma metáfora :P

      Não é só o que me apraz. Fiquei com sérias dúvidas quanto àquele negócio do capacete. Tem a ver com o uso de capacete pelo "pendura". Mas isso sou eu, que sou gaja, e tenho tendência a complicar as genialidades de cada um :P
      E é claro que tens que fazer um post próprio. Já o fizeste com tanto brio quando foi do primeiro programa :P

      Eliminar
  6. O meu comentário não entrou? Ohhhhhhhhhhhhh :-(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entrou, e esteve publicado umas boas horas, com a merecida resposta, e aviso de que o ia apagar quando o lesses. Aparentemente, não leste.
      Era tão ofensivo, não havia necessidade.

      Eliminar
    2. Se o tivesse lido, não faria a pergunta mas ... ofensivo?
      Gostava de ter visto 'a merecida resposta'.

      Eliminar