27/05/2016

Há também um momento na tua vida

em que alguém te subcontrata a preço de caracacá, que é igual a cocó, noves fora, nada, e, quando tu lhe fazes ver que, para teres o trabalho concluído a tempo e às horas que te é imposto pedido, isso pode significar estares a trabalhar a um preço abaixo do de uma empregada doméstica (e ai de quem me apareça aqui a defender a classe — nem tu, Carla, nem tu , que eu hoje estou nos cascos e com a cabra), te responde que, se te aumentar o valor (do teu valiosíssimo trabalho) à hora, não lhe compensa.
...
Não lhe compensa.
...
Não.lhe.compensa.
...
Não.
...
LHE.
...
compensa.
...
E então, lembras-te, mais uma vez, de um lema que adoptaste como teu, escrito num dos muros do Museu Gulbenkian, e pensas que é teu dever, é tua salvação, segui-lo à risca até ao fim dos teus dias.
Antes borlas. 


4 comentários:

  1. Yep!
    De borla fazemos se queremos!
    Por um preço justo fazemos porque devemos para ter a justa recompensa!
    Por trocos, degradamo-nos!

    Sabes, isto é recorrente e transversal!
    Por exemplo, há vinte anos atrás recebia, uma banda, cerca de 70.000$00 para tocar num bar qualquer longe de Deus e do mundo!
    Hoje em dia nem €200 querem pagar para ter uma banda a tocar.
    Há vinte anos 70.000$00 eram dinheiro!
    Hoje em dia €200 mal pagam as deslocações e o jantar!

    Os donos dos bares acham que a malta faz aquilo por gosto!
    Muitas vezes a malta tá a tocar aquilo que os outros querem ouvir por frete!
    Prefiro tocar de borla ou não tocar! Tocar por trocos teria de ser uma situação que compensasse, se não monetariamente, de outra maneira!
    Tocar por trocos as musicas de outros gajos, que todos querem ouvir e eu já nem consigo, dispenso!

    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O grande problema é que, se recusamos qualquer trabalho, há uma fila imensa de gente à porta, que faz um trabalho que pode ser mais fraco, por metade do preço. Só que hoje já estou tão cansada, que borrifei, borrei, caguei: se quiserem fazer por mim, façam, que eu já só quero que este dia acabe e que venha o fim-de-semana :)

      Na verdade, toda a gente pensa que quem trabalha é como a outra cantava quanto a quem faz um filho. E sim, também é por gosto, mas não é para o desgosto.

      Hoje estou em modo 25 de Abril SEMPRE.

      :)

      Eliminar
  2. Sindicato nisso, LB!!!
    Tem calma, chegará o dia que comparas o que ganhas com Alexandre Soares dos Santos :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hás-de-me dar a morada do Sindicato das Otárias, Observador...

      E com CR, algum dia? Ah, pois é...

      Eliminar