11/10/2016

Um coração desfalcado desfalca o cérebro também

O coraçãozinho dela bate a dois mil, trezentos e cinquenta e um quilómetros do meu. Dois milhões, trezentos e cinquenta e um mil metros, e eu ando a perceber como é que se lida com isso. 
Soube-a doente, um pisco desde os tempos de pintainho, rinite mais frio deu infecção da garganta, e eu aqui, sem curso de medicina nem meio de a poder cuidar. 
- Vai ao médico, filha.
Foi, num país estrangeiro de língua de trapos, onde mal e pessimamente a população fala inglês. 
Caiu-lhe um anjo aos pés, personificado numa senhora, professora de inglês, que a acompanhou e lhe interpretou a consulta do princípio até ao fim. Děkuji ti drahý.
Trouxe diagnóstico, trouxe receita: antibiótico de ataque.
- E para as dores, filha? A médica não te receitou um Ben-u-ron, ou assim?
- Não, mãe, não vou tomar mais nada. Andei a entupir-me de coisas que não fizeram nada. Agora só tomo o antibiótico.
(Silêncio de um segundo, que atribuí a delay do whatsapp.)
- E se tiveres dores? 
[As mães são umas chatas, incapazes de se conformar com uma solução que não lhes saiu das mãos, inaptas para perceber que nem tudo o que se refere aos filhos está ao seu alcance. Eu sei, porque já fui — só — filha.]
- Ela disse-me para pôr umas compressas frias, no caso de ter dores.
- Compressas frias? Mas como é que uma pessoa mete compressas frias nas amígdalas sem as engolir?
(Silêncio de três segundos, que atribuí a variações do delay.)
- Mãe... por fora...

10 comentários:

  1. As melhoras da menina :)
    ... e calma para a menina :) :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada.
      Que remédio (sem medicamento)...? :)

      Eliminar
  2. Ahaha :D és a maior! Vá, ela vai ficar bem, não te preocupes! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E nem me questionei se umas compressazinhas na garganta não seriam um nico asfixiantes... :D
      Pois vai, já melhorou um bocadinho :)

      Eliminar
  3. Sei bem o que é, Blue. O meu filho viveu cinco anos em Luanda... Quando se foi embora fiz-lhe uma lista de medicamentos para levar de cá, com pelo menos três quilómetros.

    Melhoras, e cabeça fria(com compressas, claro). :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda eu me queixo destes poucos meses, Teresa. Se eles se transformassem em anos, era a minha perdição.

      Está tratada, agora é esperar que fique boa. (Com compressas e gelado, que é o que lhes recomendo sempre para as dores de garganta — apesar do frio.) Obrigada :)

      Eliminar
  4. que sofrimento, Linda. melhoras rápidas.já. senão, quem vai precisar de médico és tu!
    beijinhos,
    Mia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes crer, Mia. A distância potencia tudo, e eu sou mestra em fazer uma tempestade num copo d'água.
      Obrigada. Ela está melhor.
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Sabes o que admiro? É que no meio de tanta aflição alguém mantém o humor lá bem no alto.
    Toma lá um abraço, não há distância que o impeça de chegar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes, até a mim surpreendo. Sai-me cada broa...
      Soube-me mesmo bem, toma lá um também.

      Eliminar