13/02/2018

É preciso tão pouco [e, desta vez, foi tanto] para me fazer feliz # 12

Neste dia, que não é carne nem é peixe (nem sequer um vegetariano decente), em que um ser se iça do leito esmagado (o ser, não o leito) pela culpa de não trabalhar — ah, que não é feriado! —, mas também, se o fizesse, sentiria no couro (cabeludo e demais zonas sem cabelo) o assaz injusto que tal seria, em que o tempo meteorológico nada tem de lógico, quanto mais de meteoro, se deixa invadir sem se deixar conquistar por uma morrinha mental que nem para ir esticar as peles àquele antro de máquinas de torno há animus,
(em compensação, adentrei-me por uma loja da especialidade, que, já para não fazer publicidades daquelas que NMPPI, adianto apenas que responde por um nome que começa por Decat e acaba por hlon — porque a aquisição de outfits para fins de tonificação também devia contar como uma ida ao ginásio, pump it!) 
e eis que recebo esta enorme manifestação de carinho, que me pôs, em plena loja, de lágrimas nos olhos, porque, oh, pá, pode não parecer, mas eu sou uma espécie de humanóide extremamente sensível, e à mulher de César não basta ser céria séria. 
Obrigada, Gaffinha, por teres colorido este meu dia de azul bonito.
(Já agora, escuso de reafirmar o que já sabes, que também tu moras no meu coração — literalmente — esférico, com a única diferença de que eu não sei, ou estou mesmo incapaz, de escrever aquelas coisas todas num Português tão perfeito como tu o fizeste comigo.) (E não, não estou a ser modesta, eu sou mesmo gira.) (Não tão gira como as bonecas do teu talentosíssimo ilustrador — Fernando Vicente —, mas quase.) 

8 comentários:

  1. Tenho a imensa sorte de ainda não ter lido TODO o teu blog. Fic
    o com uma reserva razoável de gargalhadas, de espanto e de um bocadinho de inveja (branca) de não conseguir descrever os dias que passam com tamanho "fair-play".
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Consegues, sim, de uma forma exímia. Tens uma perspectiva maravilhosa, um olhar peculiar sobre as coisas e sobre as pessoas, e constróis um blog único dessa forma.
      Eu só pinto de azul dias sem história. Quanto menos há para contar, mais ginástica de escrivaninha tenho que fazer.
      Obrigada, outra vez.

      Eliminar
  2. O teu azul é estupendo!
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso faz-me sentir estupendaça! :)

      Eliminar
  3. Pequeno caso sério14/2/18

    Pensei muito antes de comentar, afinal de contas, estou em casa alheia.
    Depois pensei um bocadinho mais e disse de mim pra mim:porque não? Se gostei, se acho que é bom e ainda por cima já consta dos favoritos porque é que não hei - de dizer?
    E pronto.
    Cá estou eu a dizer - te aquilo que já te devem ter dito inúmeras vezes mas que sabe sempre bem ler .
    És muito boa com as palavras e conseguiste arrancar - me umas boas gargalhadas.
    Já te "conhecia" do blog da Filipa e agora com o destaque da nossa querida Gaffe lá ganhei coragem para aqui debitar faladura.

    Fica feito o convite para quando quiseres,espreitares lá o meu cantinho arquietetado pela Gaffe. Não aorenderás nada de novo mas tens com que te entreter naqueles dias em que o cagalhoto está indeciso se deve ou não vir conhecer o mundo.
    ;)

    P.S- gosto do teu header...principalmente da bola de nívea.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh, Pequeno Caso, como assim, em casa alheia? E a falares de atrevimento? Que é lá isso? És muito bem vinda! :)
      Já fui espreitar a tua casa, e gostei tanto que vou ficar lá como visita, posso?
      Obrigada. Obrigada :)

      Eliminar
  4. Pequeno caso sério15/2/18

    Se podes?
    Deves!

    ;)

    ResponderEliminar