24/06/2014

Já agora, constatação quase escatológica

É só comigo ou a toda a gente acontece apanharem rolos de papel higiénico cuja primeira folha está colada ao rolo com Araldite, ou qualquer outra cola de contacto, de maneira que a puxamos, ficamos com a primeira volta na mão, rasgamos as seguintes, a certa altura arrancámos quase metade do rolo, mas aos pedaços e com tamanhos e formas aleatórias, e aquela intenção de tirar umas folhinhas já se perdeu irremediavelmente? Os fabricantes de papel higiénico já experimentaram, verdadeiramente, usar os rolos que fabricam? 

Já agora, mais um de experiência feito e aproveitai que eu não duro sempre: o melhor de todos é o Pampilar Compacto Ultra Longo*. Na minha casa está elevado a Sir. Sir Pampilar. Os rolos são enormes, são capazes de durar um dia inteirinho (24 horas! Sem contar com 8 para sono, são 16 horas!) numa casa com, por exemplo e absurdo, quatro gajas. O papel não é excessivamente macio (e quem precisa de veludo para limpar o cu? Maricas) e limpa que se farta, a menos que tenhais peles e olhos sensíveis, mas isso ide resolver com pomadas, ou praticai o celibato. 

* Ninguém me paga para isto.


Olha que bonita imagem. "Ternura", é como quem diz, mas cada um sabe de si.

4 comentários:

  1. Respostas
    1. A relação preço-qualidade é a melhor! :)

      Eliminar
  2. eu já experimentei!! é um mimo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pronto, então sempre se conclui que é uma ternura!

      Eliminar